Olhar Conceito

Quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Colunas

O punk continua influenciando a moda; Um brinde às tachas, spikes, alfinetes e rasgos nas roupas

Autor: Bianca Poppi - Especial para o Olhar Conceito

10 Mai 2013 - 09:30

 
Aplicações em peças básicas dão um toque novo ao visual

Desde seu surgimento, em meados dadécada de 70, o movimento punk nascido nas ruas de NY e Londres, vem influenciando e servindo de referência para criadores de moda. Esse fenômeno é conhecido no campo da moda como “bubble-up”(efervescência), quando uma tendência se desenvolve nas ruas e a partir daí vem a influenciar estilistas, ganha conhecimento através de mídias e pode até virar artigo de luxo.


Mas voltando ao assunto punk, o movimento destacou bandas como Ramones, Sex Pistols, The Clash e no Brasil, Restos de Nada e Garotos Podres, e também teve um apelo estético marcante, com a essência do DIY (do it yourself ou faça você mesmo) no visual, como utilização de tachas, spikes, alfinetes e rasgos em peças de roupa. Alguns vinculam a criação do visual punk à estilista Vivienne Westwood,na época a então esposa de Malcolm Mclaren, produtor do Sex Pistols, que possuía a loja Sex a qual era responsável pelo visual da banda. 





O estilo voltou à tona com a ultima temporada de inverno que trouxe às passarelas muitas referências da cultura punk, em desfiles de marcas como Chanel (detalhe das botas de vinil com correntes e pegada fetichista), Anthony Vacarello, Prada, Alexander McQueen e Marc Jacobs (no detalhe ao lado, vestido escolhido pela cantora Miley Cyrus para o baile do MET) mas também principalmente pela exposição do Costume Institute (parte doMetropolitamMuseumofArt, museu voltado para a história do vestuário) lançada neste dia 6 com o tão aclamado baile do MET, o baile de gala da instituição (basicamente o tapete vermelho da moda).  





A exposição nomeada de “Punk: Chaosofthecouture” explora o movimento punk e sua influência na estética e na moda desde seu surgimento até a sociedade atual. Segundo o site do MET, a exposição da enfoco à relação entre o conceito do punk “do it yourself” e o conceito de Alta Costura de “feito sob medida”, com sete galerias organizadas em torno de materiais, técnicas e enfeites associados com o estilo anti-establishment(contra os padrões vigentes).

Na onda da exposição e do baile do MET, o portal Moda Operandi (também patrocinador da exposição) resolveu disponibilizar para venda, looks usados no redcarpet, fazendo parceria com nomes como Anthony Vacarello, Nina Ricci e Rodarte, além de uma coleção com temática punk disponível desde o dia 2, com peças de marcas como Givenchy, Dolce&Gabanna e Vivienne Westwood. 

Por essas e outras, a temática punk vai continuar dando as caras e é umas das apostas para esse outono/inverno e para quem se identifica com a tendência, agora é a hora de se jogar no “do it yourself” e botar as mãos na massa (ou tecidos e aviamentos!) criando peças únicas e reaproveitando peças usadas, afinal upcycle também é tendência! 


                        

Leia também:

Designer cuiabano se destaca no país, mas teme aceitação de moda conceitual em Cuiabá
Fauna e flora pantaneira são traduzidos em acessórios statement com riqueza artesanal
7 dias da semana, 7 pílulas de moda

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet