Olhar Conceito

Sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Colunas

Fadiga Adrenal: Muito mais que um simples cansaço

Autor: Laryssa Moraes Alves Correa

19 Set 2015 - 16:20

Arquivo Pessoal

Hoje em dia, não é difícil você encontrar pessoas reclamando de cansaço. Jovens e adultos dormem e ainda assim julgam seu cansaço classificando-os como “preguiça” ou “falta de disposição”. Se sente muito cansado? Com muita dificuldade de levantar da cama, desejo de consumir doces, açúcar ou pães e massas, ganha peso com facilidade mesmo fazendo dieta e sente pouco apetite sexual? Saiba que estes sintomas podem ser o que chamamos de fadiga adrenal.

A fadiga adrenal tem relação com duas estruturas que ficam acima dos rins chamadas de glândulas adrenais, responsáveis por muitas ações no sistema endócrino humano. Algumas funções estão relacionadas ao controle da pressão arterial, ciclo do sono, imunidade, regulação do metabolismo do sódio, do potássio, da água, dos carboidratos e também regulação das reações do corpo humano ao estresse, através de um sistema que mantém o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal ativo. O estresse, por exemplo, pode causar o requerimento constante das supra- renais para produzir cortisol podendo “esgotá-las”. O estresse constante do nosso dia-a-dia com trânsito, poluição, má qualidade alimentar, má qualidade de sono e, portanto, a má qualidade de vida gera esse desequilíbrio nutriendócrino.

Como o leque de alterações desse hormônio é muito amplo, muitas vezes não conseguimos achar correlação entre a causa e os sintomas! Mas quais sintomas? Sistema imunológico enfraquecido, dificuldade em se levantar todas as manhãs mesmo depois de um longo sono, altos níveis de fadiga ao longo do dia, incapacidade de lidar com o estresse (irritação demasiada, dor nas articulações, dor de cabeça crônica, dor lombar e outras dores que não melhoram e aumento inexplicado da vontade de comidas salgadas)

Algumas mudanças de comportamento são interessantes em pessoas com essas queixas como suspender a ingestão de glúten tais como pães, arroz, massas brancas, sempre dando preferência aos alimentos integrais, e restrição máxima do açúcar, aveia, cevada, centeio, malte e trigo- biscoitos, bolos e os laticínios devem ser evitados (lembrando que isso não substituiu a avaliação de um profissional!) Já você que tem fadiga adrenal pode abusar de alimentos que tenham grande quantidade de ômega 3 (salmão, linhaça, chia, castanha, amêndoas), cacau, chá verde, frutas e vegetais com alto teor de vitamina C (kiwi, caju, acerola, laranja), fontes de zinco, como a semente de abóbora; alimentos ricos em complexo B, como os cereais integrais (arroz, quinoa, amaranto). Minha intenção, aqui, é que eu consiga auxiliar as pessoas que apresentam essas queixas com mudanças nos padrões alimentares e de estilo de vida.

Não se esqueçam! A recuperação da fadiga adrenal é certamente possível, mas pode levar algum tempo, tenha paciência! A melhor coisa que podemos fazer é a prevenção, seguindo corretamente o que lhe foi indicado por um profissional e assim recuperar-se o mais rápido possível. Não aceite o que não é normal! Cuide-se e tenha mais saúde!

--

*Laryssa é médica formada pela Universidade de Cuiabá, nutróloga pós-graduada pela ABRAN e nutricionista clínica pós-graduada pela GANEP-Nutrição Humana. Sua coluna no Olhar Conceito vai ao ar aos sábados.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet