Olhar Conceito

Sexta-feira, 10 de julho de 2020

Colunas

Aquarius, princípios e conhecimento

Autor: Raul Fortes

25 Jan 2018 - 16:20

Há poucos dias estive revisitando minha coleção de filmes que marcaram época. Dentre eles eu encontrei "Hair". Para quem nunca o assistiu, esta obra prima é uma adaptação de um musical da Broadway. Sem querer estragar a surpresa de quem o irá assistir, atenho-me apenas na inspiração que me causou para redigir este texto.

Dirigido por  Milos Forman o filme nos conta a história de um jovem convocado para a guerra do Vietnã. Ao se apresentar no batalhão, o mesmo se vê às voltas com um grupo dos chamados hippies que, por sua filosofia, eram contra a guerra. O filme nos apresenta a música “Aquarius”, cuja letra faz alusão à nova Era de Aquário, um período em que a humanidade deveria, talvez por forças cósmicas, passar por grandes e profundas modificações comportamentais. E aqui começa meu devaneio.

Segundo os preceitos da Era de Aquário relatados na letra dessa canção, “Quando a Lua está na Sétima Casa e Júpiter alinhado com Marte, então a Paz guiará os planetas e o Amor comandará as estrelas. Este é o amanhecer da Era de Aquário”. Pois bem. Talvez estejamos apenas numa ainda distante aproximação deste ideal... Porém, entre uma taça de vinho e alguns pensamentos meus, lembrei-me que há poucos dias observamos o mundo inteiro (com raras exceções...)  soltar fogos e fazer movimentos de extremosa alegria pela virada do ano. Um momento em que as pessoas se voltam para  renovar as energias e para acreditarem num mundo melhor, num ano NOVO cheio de realizações. Lindo se não fosse apenas um gesto muitas vezes desacompanhado de verdadeira coragem de imitar não a festa, mas o conhecimento dos princípios que a regem. 

Princípios e Conhecimento...

Daí me pergunto: Se almejamos tanto a chegada de uma nova Era, cheia de paz, harmonia e solidariedade como a canção diz, então por quê razão não tornamos não só a festividade de passagem de ano, mas os princípios de que somos uma só raça, vivendo numa só casa, bebendo da mesma água e respirando o mesmo ar... Com certeza, faria mais sentido ver que as diferenças fazem o colorido humano. As diferentes características de cada etnia são, em verdade, como as letras, necessárias para se formar o texto escrito por nossa civilização. Assim como não se faz uma palavra com apenas uma só letra, não se faz um mundo maravilhoso e cheio de diversidades sem as nuanças de cada povo em sua específica região no planeta. Espero que na virada do próximo ano, a humanidade comemore igualmente em toda parte, a aceitação do outro, da eliminação da discriminação em seu aspecto mais amplo. Daí sim, os anjos ou avatares, como queiram, irão aplaudir do firmamento com certeza, além do colorido dos fogos e da algazarra humana no dia 31 de dezembro, a tão sonhada paz na terra. Quem sabe...

*Raul Fortes é músico educador e apresentador.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Spencer
    02 Abr 2018 às 11:32

    Tanta coisa importante para falar, a criatura faz reflexão tola de coisas mais tolas e inúteis, onde através de filmes nem um pouco inteligíveis tentam buscar a motivação para a paz ,harmonia e uma falso equilíbrio. Alem do mais repassar algo utópico da parte de fontes pobres e fantasiosas de pessoas que não tem nenhuma dessas virtudes. O único fundamento para a Paz e o Amor em um mundo caótico, doente e cego não vem dos homens nem de ideologias nefastas mais sim da fonte de amor que se chama Jesus. Busque na Bíblia a verdade e deixem essas tolices hollywoodiana ou seja la da onde vem.

  • karina
    21 Fev 2018 às 16:14

    Ótima reflexão...

  • Paulo Barth
    15 Fev 2018 às 14:07

    A era de Aquário tem suas sub fases, estamos ainda na fase da maturidade em comunicação e igualdade, e equidade de uma criança, um dos gritos foi a revolução francesa, outro a internet, saímos da placenta a poucos anos nessa er... mas relaxa Raul, não estaremos aqui quando a era estiver no seu equilíbrio(ponto mais alto) e meio da parábola da era aquariana. Alem disso não devemos desprezar a seguinte afirmação: É também entendido pelos astrólogos que esta não é uma divisão matemática do tempo, mas sim um processo, intitulado "Orbe de influência", através do qual uma era inicia a sua influência, de um modo cada vez mais visível, antes do final da era anterior. Ou seja ainda temos um pouco da era de peixes assim como no final da era de peixe já ascende energia de aquário.

Redes Sociais

Sitevip Internet