Olhar Conceito

Notícias / Tecnologia

Única do Brasil

Com projetos gigantescos, empresa da “Praia de Cuiabá” alcança 3º recorde mundial

Da Redação - Naiara Leonor

15 Jan 2016 - 16:20

Foto: Rogério Florentino Pereira

Com projetos gigantescos, empresa da “Praia de Cuiabá” alcança 3º recorde mundial
Locais com um clima quente constante como Cuiabá fazem com que os habitantes desejem um ambiente litorâneo. Nem sempre isso foi possível. Porém, hoje uma praia pode ser levada a lugares antes impensados. A tecnologia criada e patenteada pela Crystal Lagoons, construída no Brasil primeiramente na capital mato-grossense, é capaz de construir lagoas de grandes dimensões de forma sustentável e econômica, em qualquer lugar do planeta.

Leia mais:
Empresa que criou a 'praia de Cuiabá' constroi a maior lagoa do mundo no deserto do Egito
"Praia de Cuiabá" investe em paisagismo para criar natureza no meio da cidade

Já com dois recordes mundiais registrados pelo Guinness Book, a Crystal Lagoons está agora prestes a receber o terceiro certificado com seu projeto em desenvolvimento em Dubai, nos Emirados Árabes.

O complexo de luxo "Mohammed Bin Rashid Al Maktoum City - District One", possuirá uma inédita lagoa de águas cristalinas com área de 40 hectares (400.000 m2), rodeada por praias de areias brancas, alcançando o terceiro recorde mundial da companhia.

O empreendimento também baterá outros cinco registros, entre eles a maior torre residencial, maior deck de observação (360 graus) e a mais longa pista de esqui indoor. A previsão de conclusão do complexo é para 2020.

O primeiro registro da Crystal Lagoons no livro dos recordes ocorreu em 2007, quando a lagoa de San Afonso Del Mar, no Chile, com 8 hectares (80.000 m2) foi certificada como a maior do planeta. Recentemente, o segundo título da CL foi para o Egito, graças a uma lagoa com 12,5 hectares (125.000 m2), construída em pleno deserto.

A Crystal Lagoons possui cerca de 300 projetos espalhados em 50 países. Apenas nos EUA, a empresa tem em andamento 35 obras em diferentes fases de desenvolvimento. Além de enormes lagoas no Egito, Índia, Mar Morto, México, Indonésia, Tailândia, Peru e Arábia Saudita.

O Brasil está pela primeira vez recebendo um empreendimento com a tecnologia da Crystal Lagoons, trazida pela incorporadora binacional BC Genera. O residencial, único no país, recebeu o nome de Brasil Beach Cuiabá Home Resort e está localizado na capital mato-grossense, em pleno perímetro urbano.

O projeto está sendo implantado em uma área de 36 hectares, o que possibilitou a construção de uma lagoa cristalina de 20mil m² de superfície, cercada por 12mil m² de praia, de uso exclusivo dos moradores do resort urbano.

O diretor da BC Genera Brasil, Heitor Ribeiro Teixeira, explica o quanto é importante ter uma técnica confiável como essa em um empreendimento na cidade. “Cuiabá saiu na frente de todas as capitais do Brasil ao receber um exclusivo e inédito projeto imobiliário da BC Genera com a tecnologia Crystal Lagoons. Nossa capital não ficou com o recorde de maior lagoa do mundo, mas ficou com o pioneirismo da implantação deste tipo de equipamento de lazer em nosso país”.

E esta novidade noticiada no restante do país, despertou o interesse de inúmeros investidores de outras capitais e grandes cidades brasileiras, que já vieram à Cuiabá para conhecer o projeto.

“Em razão do incrível impacto visual positivo da lagoa e do alto nível de sustentabilidade e economicidade da tecnologia de tratamento de água, fatores que agregam grande valor ao residencial, recebemos muitas propostas de parcerias para implantação de outros empreendimentos em várias cidades do Brasil. Isso demonstra que Cuiabá pode se orgulhar de ser o centro irradiador de um novo conceito de morar com qualidade”, conclui Heitor.

A economia e sustentabilidade do processo de tratamento de água da Crystal Lagoons se traduz, entre outras particularidades, pelo fato de que o enchimento da lagoa ocorre uma única vez e, por se tratar de um sistema fechado, sem perda de água no processo de filtragem e circulação, consome, proporcionalmente, somente 2% da energia utilizada pelos métodos tradicionais de tratamento e apenas 1% dos produtos químicos usados em piscinas comuns.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet