Olhar Conceito

Quarta-feira, 02 de dezembro de 2020

Notícias / Artes Cênicas

Cuiabana apresenta projeto de teatro de bonecos em festival do Minho, em Portugal

Da Redação - Isabela Mercuri

07 Jun 2016 - 17:01

Foto: Reprodução

Cuiabana apresenta projeto de teatro de bonecos em festival do Minho, em Portugal
A atriz cuiabana Raquel Mutzenberg vai apresentar seu mais novo projeto na Feira de Teatro de Bonecos e Formas Animadas, na Casa de Cultura da Fafe, no Minho, em Portugal dos próximos dias 7 a 9 de julho. Essa será a primeira vez que Maiêutica viaja além-mar.

Leia mais:

Curso de Teatro de Bonecos tem inscrições abertas na UFMT

Segundo Raquel, a participação foi a convite dos organizadores, que ela teve acesso por conta de seus contatos na área. “Acredito que os contatos se somaram... Depois que participei do laboratório de bonecos no Chile conheci muita gente desse campo, fiz muitas amizades. Por outro lado, meus amigos de Privamera do Leste, da Cia Faces de Teatro, já estiveram por lá e também conhecem algumas pessoas da organização”, contou ao Olhar Conceito.

‘Maiêutica’ foi criada em Cuiabá, durante a pesquisa de mestrado da atriz, realizada na ECCO, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), financiado pela CAPES. No Chile, durante o Laboratório Plan B - num ambiente com 20 bonequeiros do mundo todo criando projetos pessoais – ela desenvolveu o projeto na prática. “Orientados pela Natacha Belova, uma bonequeira Russa famosíssima, talentosíssima, que está desenvolvendo um projeto no Rio de Janeiro atualmente”, explica.

Sua estreia foi no festival Degeneradas 2, mostra feminista do Sesc Santana, em São Paulo. Neste ano, ela também fez parte da mostra local do Palco Giratório 2016, e apresentou o projeto no Centro Histórico de Cuiabá.

Atriz e pesquisadora há dez anos, ela afirma que deve cada passo às políticas culturais que participou: “Preciso frisar que a UFMT, por meio do Programa de Pós-Graduação em Cultura Contemporânea e da Pró-Reitoria de Cultura têm um papel importantíssimo na criação e execução deste projeto. A Prefeitura de Cuiabá também, pelo incentivo na continuidade da pesquisa. Levar um trabalho meu a outro continente é uma responsabilidade imensa, estarei representando nosso país e região neste momento político tão conturbado e de desrespeito aos trabalhadores da cultura”, afirma Raquel.

Sobre a viagem a Portugal, ela comemora: “A oportunidade de realizar trocas com artistas de outros lugares é essencial para compreender em que lugar está a minha arte e entender como a subjetividade do local onde vivo me afeta e é recebida por pessoas de outros meios. Além da possibilidade de ampliar a rede de contatos, pensar em intercâmbios culturais mais profundos, trazer novas correntes de pensamento para nossa região e levar nossas discussões para lá”, finaliza.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet