Olhar Conceito

Terça-feira, 07 de dezembro de 2021

Notícias / Artes visuais

mês da fotografia

Mato-grossenses são selecionados em Festival de fotografia e expõem no Museu Nacional da República

Da Redação - Isabela Mercuri

27 Jun 2016 - 17:10

Foto: Reprodução / Lente Cultural

Mato-grossenses são selecionados em Festival de fotografia e expõem no Museu Nacional da República
Os mato-grossenses Lucas Ninno e Helder Faria foram selecionados pelo Festival Mês da Fotografia e terão suas obras expostas na Galeria Acervo do Museu Nacional da República, em Brasília, durante o mês de agosto de 2016. Essa é a sexta edição do festival.

Leia mais:
Mostra de artes no Teatro da UFMT tem mais de quarenta apresentações em dois meses

Realizado pela ‘Lente Cultural’, o festival teve como tema neste ano “A Vida – Uma celebração da Fotografia”. No total, foram 218 fotógrafos inscritos com mais de 570 imagens. Os selecionados foram convocados nesta segunda-feira (27). A exposição coletiva será composta por imagens de cem fotógrafos de Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

Criado em 2010, o festival já teve como temas “O Centro-Oeste: O Homem, a Cultura e o Meio”; “Arte, Cultura e Ação Social”; As imagens de uma paixão – O futebol no imaginário popular brasileiro” e “O Feminino e a fotografia”. Além da exposição, o festival promove intervenções urbanas, palestras, ciclo de debates, workshops, oficinas lúdicas e publicação de catálogos.


Lucas Ninno (Foto: Arquivo Pessoal)

Lucas Ninno é cuiabano e já foi, em março, indicado também para o Chine 16th International Photography Art Exibition. Helder foi selecionado no Salão Jovem Arte 2016 e no Salão de Arte 2013, além de ter publicado em revistas especializadas e exposições coletivas das Maratonas Fotográficas.


Helder Faria (Foto: Lucas Ninno)

Para este festival, inscreveu fotos do ciclo de vida das borboletas: “O tema era “A Vida – Uma Celebração da Fotografia” e, como atualmente tenho me dedicado a fotografia macro de natureza, mandei uma série de três imagens mostrando o ciclo de vida de uma borboleta, como uma analogia das transformações da vida, e para além do olhar antropocêntrico, mostrando que existem outros seres viventes”, explica.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet