Olhar Conceito

Segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Notícias / Literatura

Coletânea de contos

Jovem cuiabana publica primeiro livro aos 21 anos por meio de edital

Da Redação - Naiara Leonor

19 Set 2016 - 17:35

Foto: Da Assessoria

Jovem cuiabana publica primeiro livro aos 21 anos por meio de edital
Uma coletânea de contos dramáticos sobre relacionamentos interpessoais. Este é o primeiro lançamento da jovem Rafaella Elika, de 21 anos. Vencedora de um edital de incentivo à cultura, ela publica o exemplar “Me Literatura” pela Carlini e Caniato Editorial.

Leia mais:
Biblioteca Estevão de Mendonça participa de mobilização de incentivo à leitura

Com seu primeiro livro no mercado até o fim deste ano (2016), a cuiabana Rafaella explica um pouco de como se descobriu escritora e de onde vieram as primeiras experiências com a literatura. “Desde pequena tive a criatividade como minha principal aliada. Eu desenhava, dançava, interpretava, escrevia, fazia artesanatos e gambiarras e, logo, com o fio de maturidade dos quinze anos, me senti apta a escrever histórias mais elaboradas. Foi então que comecei a dedicar o tempo que passava dentro da minha cabeça montando histórias”, contou a jovem.

De seu mundo particular construído por conta de suas experiências literárias nasceram diversos contos, alguns que foram publicados na coletânea “Beatnik, Malditos e Marginais – Literatura na Cidade Verde”, na antologia “O Mistério das Sombras” e no jornal “Diário de Cuiabá”.

O livro “Me Literatura” é uma coletânea de contos dramáticos ligados apenas pela temática permanente: relacionamentos. Segundo a autora, cada história tem sua própria atmosfera. “A ambientação dos contos pode ser leve, pesada, íntima, platônica ou até misteriosa, nunca deixando de expor as nuances de um relacionamento entre uma ou mais de duas pessoas e todos os seus sentimentos pessoais envolvidos” contou a autora.

Rafaella afirmou ainda que cada um dos contos tem personagens e situações diferentes, de forma a explorar uma variedade maior de sentimentos. “Em algumas narrativas, a tensão pesa a atmosfera, em outras o vazio, a tristeza e a melancolia. Em outras nos sentimos a própria personagem, no final até queremos confortá-la ou trocar algumas palavras, pois nos identificamos com ela. São contos tão fictícios que parecem a realidade”, disse.

A ideia para a coletânea surgiu a partir do interesse da autora com o modo como as pessoas levam suas vidas. “O mundo desde sempre foi repleto de tramas mal resolvidas entre pessoas mal resolvidas consigo mesmas, logo, de todo esse turbilhão de sentimentos inexprimíveis e egocentrismo, vi fluir inúmeras histórias, não só as inventadas, mas as terrivelmente verdadeiras que sempre me serviram de inspiração. Então a ideia sempre esteve ali, em tudo o que eu já havia vivido, visto e escrito até hoje, o que me restou foi fazer uma compilação e colocar cada conto em seu devido lugar no livro”, afirmou Rafaella.

A oportunidade de publicação de seu primeiro livro veio com o edital de incentivo à cultura, lançado pela Prefeitura de Cuiabá. “Estes incentivos são como uma enorme oportunidade para quem sabe que tem um talento guardado e que só precisa de uma mãozinha. Espero que o governo de Cuiabá e de Mato Grosso continue incentivando a arte com concursos culturais”, finalizou Elika.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet