Olhar Conceito

Terça-feira, 18 de maio de 2021

Notícias / Artes Cênicas

Auto da Paixão

Galã global diz que ignora assédio ao interpretar Jesus em Cuiabá: “falta de respeito”

Da Redação - Naiara Leonor

11 Abr 2017 - 09:20

Foto: Olhar Conceito

Galã global diz que ignora assédio ao interpretar Jesus em Cuiabá: “falta de respeito”
O espetáculo Auto da Paixão de Cristo é mais uma vez realizado em Cuiabá com a participação do ator Henri Castelli no papel de Jesus Cristo. O ator que já está na capital mato-grossense para as apresentações entre os dias 11 e 16 de abril no Sesi Papa, classificou o assédio  durante sua interpretação como Jesus com relação a sua aparência como “falta de respeito”. Ele ainda comentou sobre a emoção de participar novamente da encenação em Cuiabá.

Leia mais:
Após sucesso em 2016, Henri Castelli volta a Cuiabá para participar do 'Auto da Paixão'

No último dia 08 de abril, uma publicação de um jornal local de Pernambuco evidenciou gritos de “Jesus gostoso” vindos da plateia durante a apresentação da Paixão de Cristo no município de Fazenda Nova. O espetáculo tem no elenco Rômulo Arantes Neto como o messias. Sobre o assunto, Henri Castelli comentou o caso e disse como vê essa relação entre o assédio de fãs nesse sentido durante sua encenação.

“Eu não escuto. Eu acho que justamente o espetáculo vem para mostrar respeito, educação e você tem que estar lá pra escutar a palavra de Deus e o que está querendo dizer o espetáculo. Você não vai lá pra ver o ator ou vendo se ele está gostoso, se é bonito, se é feio, se é gordo ou se ele é magro. Então acho que isso é meio falta de respeito, mas eu não escuto, quando eu estou em cena eu não escuto nada”, disse Henri durante coletiva de sua participação no espetáculo de mesmo tema em Cuiabá.

Henri declarou que não imaginava que faria o papel novamente em Cuiabá e disse que a cada ano é uma emoção diferente. “Quando perguntam como é fazer Jesus eu nunca sei responder”, disse o ator destacando a troca de energia com o público como necessária para sua interpretação.

“Me emociono desde a hora que entro no camarim. Ano passado eu era o último a ir embora. Gostava muito de ouvir as pessoas sobre o espetáculo”, comenta dizendo que trouxe alguns dos presentes que ganhou dos índio Xavantes em 2016 para compor seu camarim este ano.

Além da emoção, ele diz que interpretar Jesus é uma limpeza espiritual e lhe traz paz. “Minha namorada diz que eu fico mais calmo quando estou fazendo o Auto. Saí de um personagem meio ogro que foi Ralf então ela fala pra mim ‘Vai fazer Jesus que você fica mais calmo’”, comenta o ator em tom descontraído.

Em sua última estada em Cuiabá, ele aproveitou para viajar pelo Estado e conhecer alguns atrativos turísticos. Desta vez ele pretende viajar novamente, mas ainda não definiu o roteiro.

O espetáculo “Auto da Paixão” em Cuiabá é gratuito e acontece entre 11 e 16 de abril no Memorial João II, no Sesi Papa. Os portões são abertos às 17h, com início da peça às 20h.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet