Olhar Conceito

Sábado, 05 de dezembro de 2020

Notícias / Gastronomia

Espaço Cultural se 'disfarça' de restaurante e serve comida caseira

Da Redação - Lucas Bólico

18 Abr 2013 - 17:45

Foto: Facebook Casa Ferraz

Espaço Cultural se 'disfarça' de restaurante e serve comida caseira
Não fosse pela placa de uma marca de refrigerante e pelo tímido cardápio escrito a giz na porta, seria difícil descobrir que a centenária casa de número 584, da Rua 24 de Outubro, no Centro de Cuiabá, é um dos restaurantes ‘rústicos’ mais elegantes da capital, a Casa Ferraz.

Tropycalle traz na história tradição familiar e receita que passa por gerações

O “disfarce” não é por acaso, como explica Ronei Ferraz, artista plástico, chefe de cozinha e proprietário. “Aqui tem o clima de casa da mãe e da avó. Não é mais um restaurante, que você vai, come e fica com aquele cheiro de comida que logo enjoa. Porque depois que você come o cheiro de comida fica enjoativo, né?”.

O local tem cheiro de infância. “Aqui usamos essência de baunilha, que remete ao cheiro de casa, também remete ao chocolate, que remete ideia de conforto”, raciocina Ferraz. E os cuidados em remontar um ambiente familiar extrapolam as barreiras olfativas. A música ambiente ajuda a construir o clima, nem alta demais a ponto de ser invasiva, nem baixa a ponto de não ser escutada (durante a entrevista ecoava Gotan Project e Tribalistas).

O restaurante já funciona há 6 anos, mas antes disso, o artista usava o espaço como ateliê. “Minha família toda tem uma ligação muito forte com a cozinha. Quem não tem padaria, tem Buffet”, conta. Como não deu para ‘escapar’ da vocação familiar, Ferraz uniu duas paixões: artes plásticas e culinária.

O ambiente onde o almoço é servido é repleto de obras de arte. “Está tudo a venda. Até as mesas, os bancos... se quiser, pode levar que depois a gente troca. Eu enjôo das coisas, gosto de mudar”, revela o inquieto artista. O local onde o restaurante-ateliê está instalado tem pelo menos 120 anos. “Nós conservamos a estrutura, até tiramos o reboco de uma das paredes para dar esse clima rústico”.

O cardápio não se repete. “Cada dia faço algo diferente, não tem um menu onde as pessoas escolhem o que vão comer. E eu só faço 35 refeições por dia. Esses tempos me contaram que o nome do que faço é Confort Food (comida emocional, que desperta sensações agradáveis e evoca o prazer e o bem-estar ligado à infância)”, conta.

Como o número diário de refeições é limitado, é bom que os interessados liguem (3052-4588) e reservem antes de ir almoçar. “Não é prato feito, nós servimos o empratado”, conta. O valor da refeição é R$ 10.50 e da sobremesa R$ 2.50.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet