Olhar Conceito

Segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Notícias / Artes visuais

Após visita de Emanuel a Romero Britto, artistas cuiabanos se manifestam contra a 'Romerização' da cidade

Da Redação - Isabela Mercuri

28 Ago 2017 - 17:20

Foto: Mário Almeida

Visita de Emanuel ao ateliê de Romero Britto em Miami

Visita de Emanuel ao ateliê de Romero Britto em Miami

Os artistas de Cuiabá criaram, no último sábado (26), uma petição pública em resposta à possibilidade de a Prefeitura de Cuiabá trazer o artista plástico Romero Britto para propor a arte dos 300 anos da capital. Chamado #nãoaRomerizaçãodeCuiabá', o abaixo assinado foi feito na plataforma Avaaz, e já possui quase 700 assinaturas.

Leia também:
Tela do artista mato-grossense Adir Sodré é exposta em mostra em São Paulo

De acordo com uma das idealizadoras da petição, a artista plástica Ruth Albernaz, a petição é um ‘pedido de esclarecimento’ ao prefeito. Emanuel visitou o ateliê de Romero Britto, que fica em Miami, na última segunda-feira (21).



“A gente está exatamente pedindo que o prefeito nos esclareça qual é essa ideia dele trazer o Romero Britto pra fazer a arte dos 300 anos de Cuiabá. Nós temos grandes artistas aqui como Dalva de Barros, Gervane, Adir, todos que você conhece, e o abaixo assinado é exatamente pedindo o esclarecimento do Prefeito”, afirmou Ruth, em entrevista ao Olhar Conceito.

Em um release divulgado pela assessoria da própria Prefeitura, Emanuel disse que deixou em aberto a vinda do artista pernambucano, com o objetivo tanto de criar uma obra artística exclusiva em alusão aos 300 anos, quanto para a realização de um workshop para artistas cuiabanos.

Ruth Albernaz (Foto: Arquivo Pessoal)

“O prefeito fala que vai trazer Rometo Britto pra fazer a arte e pra dar workshop pros artistas, mas ele não nos perguntou se nós queremos fazer workshop com Romero Britto. Eu não tenho nada contra a arte do Romero Britto, mas eu espero que o prefeito utilize o dinheiro de cultura de uma forma adequada”, rebate Ruth.

Adriano Figueiredo Ferreira, outro artista plástico de Cuiabá, afirmou, também em entrevista, que a indignação não é necessariamente contra o pintor pernambucano. “Eu, particularmente, não tenho nada contra o Romero Britto, o problema está em trazer alguém de fora”, lamentou. “Essa é uma atitude provinciana, de sempre achar que o que vem de fora é melhor. Outra coisa, por exemplo, foi a exposição das vacas. A Prefeitura não entrou em contato com nenhum de nós para falar sobre essas propostas para os 300 anos”, disse, em referência à ‘Cow Parade’, anunciada pela Secretaria Extraordinária dos 300 anos no início do mês de agosto.

Adriano Figueiredo Ferreira (Foto: Arquivo Pessoal)

“Nossa intenção é deixar claro que os artistas de Cuiabá não apóiam essa ideia, de que preferimos que alguém que conheça a cidade, tenha essa vivência, faça essa arte, não importa quem. Nos 250 anos foi o João Sebastião, agora já falecido, então não importa a idade, mas que seja alguém daqui”, afirmou Adriano.

Na noite desta segunda-feira (28), durante a posse do Conselho Municipal de Cultura, que acontece na Academia Mato-Grossense de Letras, os artistas pretendem se reunir e fazer um manifesto.

Outro lado

Procurado pelo Olhar Conceito, o secretário da Secretaria Extraordinária dos 300 anos, Junior Leite, afirmou que ele e Emanuel fizeram apenas uma visita a Romero Britto, e que ainda não existe nada de efetivo. “Na verdade estivemos com o Romero com intuito de trocar experiências com ele sobre trabalhos e ideias junto com nossos artistas locais, tentar utilizar toda experiência dele e potencializar a parte turística e cultural, claro que com a participação efetiva dos nossos artistas. Não temos nada em mente ainda, a ideia era abrir portas para, a partir de um grupo de trabalho, definirmos quais ações deveríamos fazer. Repito, o prefeito não assumiu nenhum compromisso em relação a Romero Brito, apenas uma visita com intuito de promover e abrir as portas da nossa capital”, disse.

Junior explicou, ainda, que a visita aconteceu para ‘aproveitar’ a viagem ao máximo. “Como já estávamos na Flórida para assinatura do convênio da Microsoft, o prefeito aproveitou para propagar o máximo possível a ideia do projeto Cuiabá 300 anos”, afirmou. “Não existe nada de efetivo ainda. O prefeito deve montar um grupo de trabalho para juntos definir as ações locais, nacionais e internacionais para colocar a Cuiabá dos 300 anos no roteiro de turismo nacional e internacional”. 

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet