Olhar Conceito

Quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Notícias / Artes visuais

Com 30 anos de carreira, Valques Rodrigues expõe obras inéditas na UFMT

Da Redação - Vitória Lopes

24 Out 2017 - 17:00

Foto: Divulgação/Valques Rodrigues

Com 30 anos de carreira, Valques Rodrigues expõe obras inéditas na UFMT
O artista plástico cuiabano Valques Rodrigues, de 35 anos, vai expor nesta semana obras recém-pintadas, no IX Seminário Internacional do Grupo Coimbra de Universidades, no Teatro da Universidade Federal Mato Grosso (UFMT). As obras ficam em exibição a partir desta terça-feira (24) até a próxima quinta-feira (26).

Leia mais:
Artista desde os 6, Valques Rodrigues expõe obras em novo café da capital


Inspirado na art naif, o pintor, que começou a carreira na infância, expõe no seminário 23 obras inéditas, com temas regionais e em constante estudo de sua técnica. A arte naif designa artistas autodidatas que desenvolvem técnicas pessoais de expressão, sendo precursores os pintores Henri Rousseau, Pilar Sala, Ronaldo Mendes e Waldomiro de Deus.

Vivendo estritamente da venda de seus trabalhos, Valques organiza futuros projetos e exposições, além da comunicação intensa com marchands (mercador que negocia obras de arte). No próximo mês, ele produzirá novos quadros que irão para uma galeria de Goiás, e depois, serão vendidas nos Estados Unidos.

Acostumado a pintar zonas rurais, Valques decidiu inovar e quer explorar em suas telas temas internacionais em seus próximos trabalhos, como Paris e Londres, sem perder a essência de seus traços peculiares.



“Muitos artistas naifs têm dificuldades em pintar cidades. São poucas pessoas que têm esse perfil de ficar pintando vários temas, porque o naif, a gente consegue fazer esse tipo de arte sem estudo, autodidata. Você vai fazendo, sem copiar nada, só com seus próprios traços”, explica.

Além disso, seus limites artísticos também foram repensados. Ele recentemente começou a pintar banheiras e frigobares, e enxerga nisso novos desafios para espalhar a arte. “Quero pintar bolsas, carros de pipoca, sandálias, coisas novas. Pra fazer isso, eu tenho que pegar uma tinta específica pro material. Como nós vivemos da arte, nós temos que fazer coisas interessantes, novas”, comenta.

Valques é filho do artista plástico Nilson Pimenta, considerado um dos 40 melhores artistas populares do mundo em 2012, pela Fundação Cartier para a Arte Contemporânea em Paris. Ele começou a pintar aos seis anos de idade, e desde cedo já comercializava sua arte.

Entretanto, o pintor iniciou na arte de forma autodidata, sem aprender com ninguém. “O pessoal fala que sou filho de artista, mas to crescendo sem o meu pai. Não quis colocar o nome dele [Pimenta]. Quero ser eu mesmo”, afirma.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet