Olhar Conceito

Domingo, 25 de outubro de 2020

Notícias / Perfil

Casal dribla adversidades do Cerrado e obtém sucesso com produção de uva em Chapada

Especial para o Olhar Conceito – Thalita Araújo

19 Jul 2013 - 10:31

Foto: Thalita Araújo

Casal dribla adversidades do Cerrado e obtém sucesso com produção de uva em Chapada
Plantar uva não é mais uma exclusividade de lugares de clima frio, apesar de essas áreas normalmente obterem mais sucesso no projeto. Um casal de Mato Grosso tinha o sonho de produzir uvas no Cerrado e, depois de driblar todas as adversidades encontradas no solo e clima do bioma, o projeto virou realidade, uma doce realidade.

Verônica Rodrigues e Evilar de Faria plantam hoje aproximadamente meio hectare de uva em Chapada dos Guimarães, e já estão colhendo quase uma tonelada do fruto por ano, em duas colheitas, uma no meio e outra no fim do ano.

As uvas são de mesa, da variedade Niágara Rosada, cuidadas pelas mãos do casal e de familiares, no condomínio Vila Monte Verde, no Km 56 da Rodovia Emanuel Pinheiro.

O sucesso na empreitada não foi fácil e nem rápido. Verônica e Evilar iniciaram o projeto em 2008, mas, não foi para frente. As plantas morreram e o prejuízo surgiu. No entanto, em 2010 eles retomaram o sonho.

Eles compraram mudas enxertadas de uva de uma unidade da Embrapa no interior de São Paulo, recebendo também algumas informações técnicas importantes sobre a variedade. E, depois de investimentos em correções no solo e em um sistema de irrigação, conseguiram sucesso no parreiral.

Depois disso, a primeira colheita veio em 2012. A produção, pequena ainda, é toda vendida no “boca a boca”. Vizinhos, amigos, conhecidos pessoas da região vão até o condomínio na época de colheita para comprar caixas da fruta.

Verônica explica que a perspectiva é colher mais e mais a cada ano. As plantas são muito jovens ainda e, por isso, a produtividade é mínima. Segundo informado pela Embrapa, aquela quantidade de plantas, em idade adulta, deverá ter capacidade para produzir até 7 toneladas ao ano, ou seja, 7 vezes mais que a média esperada para 2013.

Uma curiosidade interessante sobre as dificuldades da produção foi a solução encontrada pelo casal para evitar ataque de pássaros e abelhas aos cachos maduros. Evilar conta que quando parecia tudo perfeito, os animais começaram a comer as uvas no pé.

Depois de experimentos e pesquisas, Evilar e Verônica ensacaram manualmente todos os cachos, milhares deles, com papel manteiga, evitando os ataques. Depois, eles ainda descobriram que a técnica ajuda no prolongamento de tempo dos cachos no pé e ainda deixou a fruta mais doce.

No último dia 22 de junho, com a colheita quase finalizada, eles promoveram a “Festa da Uva” no condomínio, um jantar com música, vinhos e muita uva, claro. O objetivo do evento foi divulgar que existe uma produção de uva, ainda que pequena, na região.

O próximo sonho é a produção de uvas para vinho. E, claro, a produção artesanal da bebida.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet