Olhar Conceito

Sexta-feira, 04 de dezembro de 2020

Notícias / Artes visuais

Morre em Mato Grosso o artista plástico Nilson Pimenta aos 60 anos

Da Redação - Patrícia Neves

23 Dez 2017 - 20:00

Morre em Mato Grosso o artista plástico Nilson Pimenta aos 60 anos
O artista plástico Nilson Pimenta faleceu na tarde deste sábado, 23 de dezembro, depois de sofrer uma parada cardíaca, em Cuiabá. Nilson vivia em Mato Grosso desde dos seis anos de idade. Sua perda gerou inúmeros comentários em redes sociais. Um dos mais premiados artistas plásticos de Mato Grosso, ele chegou a ter obras expostas em Paris, na Fundação Cartier.

Leia Mais:
Galeria de arte recebe exposição de 38 obras do artista plástico Nilson Pimenta

"LUTO: o mundo perdeu hoje um grande artista plástico. Com imenso pesar e tristeza no coração recebi agora há pouco a notícia de falecimento de um grande artista plástico, um grande amigo, um conterrâneo, lutador e batalhador que conquistou seu espaço nas artes, o grande Nilson Pimenta", diz uma das postagens. 

Nilson Pimenta mudou-se para Mato Grosso aos seis anos de idade. O artista percorreu várias localidades trabalhando como peão, lavrador e cortador de cana antes de vir morar em Cuiabá. Sua obra retrata bem o tempo da meninice, vivido na roça. “Minha vida hoje em dia, em vista do que eu era, tô milionário, que antigamente, se tivesse na roça, tava ganhando vinte real por dia. Hoje, graças a Deus, eu faço a minha roça no quadro”, analisou em um entrevista o artista plástico.

 “Estamos  todos arrasados. Uma perda imensa para arte brasileira. Ele era todo especial. Uma pessoa de uma simplicidade e um talento imensurável”, conta Lauristela Guimarães, amiga do artista. Ao Olhar Conceito, a empresária contou que nos últimos anos se aproximaram e sempre que ele visitava seu empreendimento,  o Chateau Camelot, em Chapada dos Guimarães, havia uma explosão de cores. “Ele não podia ver um espacinho em branco que ele já colocava seus traços”, conta. 

O governador Pedro Taques, o secretário de Cultura de Mato Grosso, Leandro Carvalho, e o secretário de Comunicação, Kleber Lima, lamentam a morte do artista plástico Nilson Pimenta. O artista faleceu neste sábado (23.12), em razão de um infarto e da diabetes, em Cuiabá, aos 60 anos.

“Que a família e aqueles que conheciam e aprenderam com Nilson Pimenta recebam as condolências em nome do Governo do Estado e tenha forças para superar este momento de dor”, disse o governador.

"Nilson Pimenta é um dos mais importantes, se não o mais importante artista de nossa geração. Lamentamos muito pela morte precoce e estamos à disposição da família para ajudar no que for necessário", afirmou o secretário Kleber Lima.

O secretário de Cultura, Leandro Carvalho, lembrou ainda a história de Nilson Pimenta. "O Brasil perdeu hoje um de seus mais importantes artistas visuais. Natural de Caravelas, na Bahia, Nilson adotou Mato Grosso, retratando-o com força e originalidade. Nilson Pimenta também teve uma importante atuação como orientador do Ateliê Livre do Museu de Arte e Cultura Popular da Universidade Federal de Mato Grosso, criado por Aline Figueiredo e Humberto Espíndola. Foi reconhecido dentro e fora do Brasil como um artista naïf de grande importância. Nos solidarizamos com sua família neste momento difícil e expressamos nossos sentimentos pela grande perda para a Cultura Mato-Grossense e Brasileira" afirmou.

Caravelas para MT 

Nilson Pimenta nasceu em 25 de junho de 1957 em Caravelas (BA), mas se mudou para o interior de Mato Grosso aos seis anos, onde trablhou no campo. "Sou 98% mato-grossense", dizia. Morando em Cuiabá, era servidor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). É considerado um dos mais importantes e atuantes pintores brasileiros na arte naïf. "A pintura naif é aquela de gente simples que não estudou mas tem muita historia pra contar", afirmava.

O artista já participou de várias exposições coletivas e individuais, nos mais importantes museus e galerias do Brasil e do exterior. Entre outras, integrou coletivas como a “Primitivos de Mato Grosso” no Museu de Arte de São Paulo em 1980; a “Brasil/Cuiabá: Pintura Cabocla” nos museus de Arte Moderna no Rio de Janeiro e em São Paulo, e na Fundação Cultural do Distrito Federal, em Brasília, em 1981. Em 1988 participou também da “Negra Sensibilidade”, exposta no Museu de Arte e de Cultura Popular, em Cuiabá. Atualmente, Nilson participou da “Naïve Paintings of Far-Western Brazil” na Galeria IZZI em Londres, em outubro 2006.

As premiações que chegaram em 1983 e 1985, no VI e no VIII Salão Nacional de Artes Plásticas, no Rio de Janeiro, inspiraram a escritora Aline Figueiredo, que descreve Nilson em seu livro “Arte Aqui é Mato”, como um artista procedente da vida rural.

Nilson Pimenta orientou vários alunos e pintores. Hoje, muitos destes são artistas renomados.

O velório de  Nilson Pimenta será na Funerária Dom Bosco, em frente o Pronto Socorro de Cuiabá a partir de meia noite.  O sepultamento será  às 16h de domingo, no cemitério Bom Jesus, no Parque Cuiabá.


Atualizada às 8h14.

Redes Sociais

Sitevip Internet