Olhar Conceito

Segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Notícias / Literatura

gratuito até terça

Livro de jornalista cuiabano sobre amor e sexo em diferentes relações é vendido na Amazon

Da Redação - Isabela Mercuri

18 Fev 2018 - 08:20

Foto: Arquivo pessoal

Livro de jornalista cuiabano sobre amor e sexo em diferentes relações é vendido na Amazon
Poliamor, relações livres, homoafetivas, bissexuais e até monogâmicas, de amor e sexo, inspiraram o jornalista André Luís Alves, 41, a escrever seu segundo livro, ‘Esqueça o que te disseram sobre amor e sexo’, disponível gratuitamente na Amazon até a próxima terça-feira (20). Vivendo em Cuiabá, mas natural do interior de São Paulo, ele define seu livro como um “emaranhado caótico, porém gostoso, de sentimentos”.

Leia também:
Bancas de jornal se reinventam para sobreviver e proprietários cobram incentivos à leitura do Governo
 
“Este é meu segundo livro lançado diretamente na Amazon em formato e-book.  O primeiro eu lancei em 17 de novembro e se chama Volto Logo: Crônicas de uma depressão e de como aprendi a viver com ela. Como o próprio nome diz, são crônicas a partir da identificação que eu tinha essa doença e meu processo de primeiro ano de terapia e mudanças na minha vida”, contou André ao Olhar Conceito.
 
Os textos para a segunda publicação, que, segundo ele, vão de artigos a crônicas, misturando contos ficcionais e fatos verídicos, começaram a ser escritos há um ano, de forma independente, para o site Medium. “Depois comecei a ver que eu tinha muito mais a escrever do que a minha própria vivência. Isso porque entre 2015 e 2016 eu pesquisava possíveis temas para um mestrado e comecei a pesquisar sobre tabus e sexualidade. Li diversos livros e documentários sobre o universo pornográfico, prostituição, relações livres e poliamorosas. Conheci prostitutas e travestis, entrei em grupos de Facebook sobre vários tipos de relacionamentos e fiz algumas amizades. E até criei um perfil no Tinder para entender como funciona o aplicativo”, lembra. “A ideia do mestrado não vingou, mas eu vi que poderia escrever algumas histórias sobre esses temas e mais os temas que já tinha publicado no Medium. Continuei a escrever os textos entre setembro e janeiro”.
 
André conta que quis publicar na Amazon, em formato digital, para fazê-lo de forma ‘anárquica’. “Achei que tentar uma impressão iria tirar a ideia de mistura e novidade do livro. Tirando a apresentação, feita pelo jornalista Edelson Santana, tudo fui eu que fiz, incluindo a capa”.
 
Como ferramenta de divulgação, o site permite que os livros fiquem à venda gratuitamente por até cinco dias, desta forma, é possível conseguir recomendações. “Essas recomendações e a quantidade de downloads ajudam a aparecer nos mecanismos de busca e sugestões de livros do site”, explica o autor.
 
Depois de terça-feira (20), o e-book continua disponível, mas por R$18, e com venda somente por cartão de crédito. “Eu tenho vontade de reunir mais alguns textos que tenho em mente e fazer uma versão impressa. Mas, por enquanto ainda é uma vontade”.
 
Serviço

Livro ‘Esqueça o que te disseram sobre amor e sexo’
Autor: André Luís Alves
Link para compra AQUI

Sinopse: “Este livro é um emaranhado caótico, porém gostoso, de sentimentos.
A partir de textos iniciais fui alimentando alguns pensamentos sobre o que significa amar e se relacionar sexualmente nos dias de hoje.
Sim, eu separo – de boa – essas duas vivências, mas aqui estão, de uma forma ou de outra, sempre juntas.
Queria a anarquia, como são as grandes paixões e os impulsos sexuais. Quis misturar os textos, a crônica com a ficção, a dissertação com a narração, a vida real com a imaginada. E claro, o presente, com o passado e o futuro.
Escrevi para ser visceral, embora considere todas as histórias românticas e com um “final feliz”, ainda que não seja o tipo de final feliz que todos estejam acostumados.
Para escrever sobre a maioria dos temas, que muitas vezes são tabus, fiz pesquisas, conversei e entrevistei pessoas diversas: prostitutas, travestis, pessoas com relações poliamorosas, relações livres, relações homoafetivas, bissexuais e até – fechem os olhos pessoas mais modernas – quem tem uma vida monogâmica a dois.
 
Juntando tudo isso, no fundo, no fundo, as pessoas amam de modo parecido. Ainda que alguns queiram largar o osso, outros não queiram nem chegar perto.
 
E é disso tudo que se trata o livro, em 16 textos, visões múltiplas, ora complementares, ora antagônicas sobre amor... e sexo!”

 
Texto de apresentação (por Edelson Santana, Jornalista e pesquisador de literatura em língua portuguesa):

Esqueça tudo o que você sabe sobre amor & sexo é um livro ousado desde o título e propõe refletir sobre relacionamentos a partir de ideias desenvolvidas "em um emaranhado caótico". À estrutura desta publicação que agora apresento não caberia outra forma. A opção por uma variedade de gêneros textuais e até certa hibridização deles (artigo, conto, crônica, crônica opinativa, artigo narrativo, conto-crônica) tem relação estreita com o tema abordado, já que todas as narrativas indicam que o velho hábito de “classificar" pessoas está obsoleto. Aquele antigo conceito binário de masculino/feminino que antes definia a sexualidade se abre hoje a uma multiplicidade de gêneros, alguns ainda pouco compreendidos mas visíveis.

O amor e o sexo nesse mundo que vem se dessimplificando e fugindo cada vez mais da camisa de força tecida por dogmas morais e religiosos,  em que as pessoas têm se permitido o autoconhecimento e a luta para poderem "ser o que são", só tinha de ser caótico, pois a ordem plena pressupõe uniformidade e controle. É nesse mundo à revelia que o livro se encontra e, sendo assim, a organização é intencionalmente anárquica e a escrita, totalmente liberta do superego...

Há de se falar da linguagem, então falo por mim: a grande dificuldade das pessoas com mais de 40 anos é se comunicar com diferentes públicos numa época em que  vocábulos, expressões e sintaxes nascem e morrem num tempo relativamente curto (ou que achamos curto, já que a nossa percepção de tempo é diferente em comparação aos da nova geração). E André Alves conseguiu um equilíbrio notável no texto, com uma dicção bastante adequada ao tempo de agora. Num trecho de "O corpo da mulher", por exemplo, ele usa a palavra "massa" como expressão elogiosa, mas se desculpa com o leitor pela gíria oitentista, numa nítida demonstração de um autor que quer falar diretamente para o público contemporâneo. O que se vê é um escritor quarentão que evita o vocabulário "de sua idade", mas com o devido cuidado para que a escolha de palavras "daora", em seu texto, não transpareçam afetação ou artificialismo.

Na busca dessa comunicação para os de agora, nem as referências pinçadas nos anos 80/90 do século passado conseguem deixar o texto amarelecido, pelo contrário, as citações do universo pop/rock de Kid Abelha, Tim Maia ou Rita Lee, por exemplo, foram escolhidas em função do tema e são trechos de letras daquele tipo de música que parece se atualizar a cada década. Essa mesma atemporalidade está nas obras também mencionadas de Shakespeare, Machado e Graciliano ("Sobre Otelos, Bentinhos e Paulos"), com tema universal (o ciúme) e personagens arquetípicas e, por isso, eternas.

Não duvide do título. Este é sim um livro bem revelador e com potencial de ser desvelador para um tanto de gente, especialmente para aqueles que insistem em deixar essa temática no plano do tabu.  A leitura dos textos é bastante fluida e (sem qualquer trocadilho) prazerosa. Pode-se ver nele ainda um trabalho de pesquisa, principalmente pelas personagens, algumas surpreendentes – como a vovó Rosa de "Os preparativos do casamento" – e também pelas diferentes perspectivas sobre a vivência do amor e das relações sexuais entre pessoas diversas. Tudo isso em histórias bem conduzidas pelo narrador, que assegura a atenção do leitor e leva-o a desfechos um tanto inusitados, como em "Depois daquela confissão" e "Os amores da infância" (com final feliz, ufa!, e spoiler anunciado).

Narrativas como "Os preparativos do casamento" trazem aos olhos gerais uma ordem invertida: o modo como a vovó Rosa reage ao ritual do casório faz perceber a transitoriedade dos costumes e leva a questionar a defesa intransigente (por vezes até violenta) dos valores tradicionais por parte de certos segmentos sociais. "Sobre os amores líquidos" traça um percurso argumentativo, uma linha de raciocínio a se considerar sobre casamento, paternidade e outras instituições – ali, o bom e pouco lido Marx é destaque e Bauman, questionado.

Esqueça tudo o que você sabe sobre amor & sexo capta e ajuda a expor uma parcela grande da diversificada natureza humana quanto aos relacionamentos amorosos e/ou sexuais. Isso foi possível pela admirável capacidade de André Alves em reunir casos de diferentes vivências do amor e do sexo e mostrar a constante reinvenção do gênero humano, que a cada dia descobre (ou revela) uma nova possibilidade de expressar a sexualidade.  É um livro que merece ser lido em tempo livre. Aliás, é a liberdade para viver experiências o que ele parece defender.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet