Olhar Conceito

Notícias / Arquitetura, décor e design

Confira 30 curiosidades sobre prédios e casarões históricos de Cuiabá

Da Redação - Vitória Lopes

20 Mai 2018 - 15:48

Foto: Arquivo público

Confira 30 curiosidades sobre prédios e casarões históricos de Cuiabá
Na contagem regressiva para os 300 anos, muito da história de Cuiabá está alicerçada em sua arquitetura urbana. As quatro paredes de construções emblemáticas da capital ouviram e tesmunharam fatos históricos, que ajudam a reconstituir e a esclarecer a cultura cuiabana.

Leia mais:
Projeto quer catalogar famílias pioneiras de Cuiabá até o tricentenário da capital

 
Com a curadoria do arquiteto e urbanista aposentado José Lemos, que esteve à frente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Urbano (IPDU), da Prefeitura de Cuiabá, eis algumas curiosidades sobre as principais jóias da arquitetura de Cuiabá:

Casa dos Governadores
 
Mayke Toscano/Gcom-MT
Mayke Toscano/Gcom-MT

1. Inaugurada em 1940, foi residência oficial de 14 governadores por 45 anos. Júlio Campos foi o último dirigente a morar lá, em 1983.

2. Foi construído na época em que se instalava no Brasil o chamado Estado Novo, de Getúlio Vargas. Mato Grosso tinha como interventor Júlio Müller, e inspirado pelo progresso, seu governo realizou importantes obras arquitetônicas neste período, como o Grande Hotel.

3. Com estilo neoclássico, foi a primeira casa do estado a ter piscina, fogão a gás e adega.  Seu estilo novo trazia um “ar de modernidade” para Cuiabá, e foi projetada pelo arquiteto Humberto Kaulino.

4. Devido ao crescimento do Centro histórico e a construção de prédios ao redor, como o Hotel Excelsior (hoje chamado Getúlio), a residência foi desativada porque comprometia a segurança do governador e sua família.

Terminal Rodoviário Engenheiro Cássio Veiga de Sá
 
Paulisson Miura/Flickr
Paulisson Miura/Flickr

5. É reconhecida por arquitetos e engenheiros como uma das mais importantes obras de Cuiabá. O arquiteto cuiabano Moacyr de Freitas que elaborou o Terminal Rodoviário, é o mesmo que projetou o Centro Político Administrativo (CPA).
 

6. Depois de aprovado, o projeto inicial foi levado para São Paulo. Inclusive, o arquiteto do escritório responsável, Paulo Mendes da Rocha, ganhou em 2006 o Prêmio Pritzker, tido como o “Nobel da arquitetura mundial”. O Terminal Rodoviário de Cuiabá já foi usado como exemplo de estrutura de sucesso em várias outras rodoviárias no país.

SESC Arsenal
 
Drone Cuiabá/Assessoria SESC Arsenal
Drone Cuiabá/Assessoria SESC Arsenal

7. Como o próprio nome deduz, começou a ser construído em 1818, destinado a ser um estabelecimento militar para o conserto e fabricação de armas.

8. Foi ampliado e adaptado com tempo, com os varandões dos flancos construídos em 1848, nos moldes franco-lusitanos, inspiradas pelas construções oficiais do Rio de Janeiro.

9. É um dos melhores exemplos do estilo neoclássico na capital e de tombamento histórico. Mesmo revitalizado e adaptado para as necessidades de hoje (como restaurante e as salas utilizadas para aulas de dança, etc.), a fachada é praticamente original. Na entrada, há um canhão da época.

10. Em 1989 o Sesc adquiriu o prédio do Arsenal, mas suas atividades artísticas foram abertas ao público em 2002. Sem dúvidas, é um dos projetos de reocupação de espaços públicos de maior sucesso.

Casa do Artesão
 

11. Originalmente, o espaço era o Grupo Escolar Senador Azeredo. A escola foi fundada no primeiro governo do Coronel Pedro Celestino (1908 – 1911). Seu estilo é definido com eclético, misturado com neoclássico e barroco.

12. Por causa da proximidade do Porto, os alunos do Senador Azeredo eram chamados de “peixe frito”. Além disso, eles costumavam levar peixe como merenda.
 
Divisão do patrimônio histórico
Divisão do patrimônio histórico

13. O funcionamento do edifício como escola acabou em 1975. Entretanto, a ex-primeira-dama Maria Lígia abriu o espaço como a Casa do Artesão em 1984, com objetivo de ser uma mostra e comercialização da cultura popular cuiabana.

Palácio da Instrução
 
Gcom-MT
Gcom-MT

14. Outro exemplo de um edifício que anteriormente era uma escola. Contudo, o Palácio da Instrução foi construído em 1914 com o intuito de ser a principal referência da educação de Mato Grosso.

15. Durante 57 anos cumpriu a função de educandário das escolas Normal, Pedro Celestino e Liceu Cuiabano.

16. De pedra canga e cristal nos alicerces, a construção é típica da época e de estilo neoclássico.

17. Atualmente funciona como museu e já recebeu até a Bienal de São Paulo.

Casa Barão de Melgaço
 

18. Estima-se que a casa tenha sido construída entre 1775 e 1777. A partir de 1843, Auguste Leverger, o Barão de Melgaço, importante figura da história de Mato Grosso passou a morar lá.

19. Em meio ao Centro Histórico, a Casa Barão de Melgaço passa despercebida, mas para os padrões da época, era considerada moderna e um retrato típico das moradias da alta sociedade cuiabana.

20. Entretanto, a fachada reformada que vemos atualmente tem pouco do retrato original. Com um estilo mais eclético, a moradia inicial era de estilo colonial.

Grande Hotel
 
Neto Oliveira
Neto Oliveira

21. Outra obra que veio no Estado Novo de Getúlio Vargas como política de modernização. Carlos Porto foi o arquiteto responsável pelo empreendimento, que começou a ser erguido em 1940.

22. Com estilo neocolonial, lembrando fazendas mexicanas, Cuiabá não tinha nenhum hotel, e por isso o prédio foi construído para ser sofisticado a sua época, com varandas, arcos e 38 quartos.
 
Arquivo público
Arquivo público

23. Anteriormente, funcionava na esquina da Rua Joaquim Murtinho com a Avenida Getúlio Vargas o Cinema Parisien, que foi demolido para dar lugar ao hotel.

24. Durante seu período áureo, o Grande Hotel hospedou muitas personalidades da época, como Emilinha Borba (rainha do rádio), Ângela Maria, Procópio Ferreira, o próprio presidente Getúlio Vargas, dentre outros. Ali, os bailes de carnaval no salão de festas e pelas varandas eram muito concorridos pela sociedade cuiabana.

Edifício Maria Joaquina

25. É o primeiro prédio residencial vertical de Cuiabá, com elevador também.

26. Foi inaugurado em 8 de abril de 1969, no aniversário da capital. Foi projetado pelo engenheiro Cássio Veiga de Sá e construído pelos irmãos Filogônio Teodoro Ribeiro e Braulio Ribeiro.

27. Possui 15 andares e 52 apartamentos. Hoje observa-se que o Edifício Maria Joaquina é uma forma antiga de se ocupar espaços verticais em Cuiabá. O prédio vai de lote a lote, como o bairro Copacabana, no Rio de Janeiro. A legislação atual pede para se trabalhar por volume, com prédios mais altos e estreitos.












Reprodução Padilha/Clube Geo

Cine Teatro
 
André Romeu/Gcom-MT

28. Um clássico do estilo art deco em Cuiabá. Foi construído em 1942, para atender a população que clamava por um lugar onde fossem realizadas manifestações artísticas e exibição de filmes.

29. O prédio possui 1182 m² de área construída, incluindo teatro com plateia com capacidade de 515 pessoas. A sala imitava uma espécie de câmera fotográfica antiga.

30. O primeiro filme exibido no Cine Teatro foi “A noiva veio como encomenda”, estrelado por Betty Davis e James Cagney.
 
 

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Dito Cujo
    21 Mai 2018 às 17:31

    Gostaria de sugerir também uma matéria sobre o primeiro campo de pouso que existiu em Cuiabá,na década de 20,localizado onde hoje é o bairro Campo Velho.Tem também o aeródromo que existiu nas décadas de 30 e 40,onde hoje atualmente é a Vila Militar,na avenida Miguel Sutil..Seria bacana ver fotos desses antigos locais de pouso de aviões em Cuiabá.

  • Justo de Almeida
    21 Mai 2018 às 15:45

    Se tivesse um tunel do tempo...! voltaria nessa época com todo prazer e devoção. Que saudades da Cuiabá antiga. Ainda me lembro desse tempo,eu ainda era criança. 64,65,em diante.

  • Estamos de olho
    21 Mai 2018 às 14:43

    Cade o coreto da praça do porto? Este coreto foi doado pela prefeitura de Corumba em agradecimento ao povo cuiabano que ajudou a libertar Corumba ocupado pelos paraquios.

  • Dyego L
    21 Mai 2018 às 14:42

    Parabéns pela linda matéria, sugiro que se façam uma matéria sobre os predios em estilo Art Déco da nossa capital. Existe e existiu muitos predios publicos e residenciais principalmente ao longo da avenida Getulio Vargas e entorno.

  • Bia
    21 Mai 2018 às 14:02

    Mau escrito o item 2 sobre a residência dos governadores.Mas amo essa cidade que me acolheu ....Viva Cuiabá

  • Maria Auxiliadora Massoli de Campos
    21 Mai 2018 às 13:52

    A informação é errônea sobre o prédio Palácio da Instrução, pois a 43 anos, desde 1975 está neste prédio a Biblioteca Pública Estadual Estêvão de Mendonça. Fico indignada com informações distorcidas. A Biblioteca Pública Estadual Estêvão de Mendonça sempre esteve presente como um importante instrumento cultural do estado de Mato Grosso

  • joão nepomuceno
    21 Mai 2018 às 13:27

    Tenho em minha mente que somente os verdadeiros cuiabanos ou aqueles que para cá vieram e nutriram por esta cidade um amor filial é que conseguem se emocionar com as lembranças de um passado tão glorioso! Quiçá tivéssemos o privilégio de ter chegado, como comentou Ede Gonçalves, no auge dos seus 80 anos, a lucidez de rememorar tempos tão belos!

  • Seu Jacó
    21 Mai 2018 às 11:24

    Esses lugar aí deve ser tudo mal assombrado vote. Cheio de alma depenada! Deus é mais.

  • kaco
    21 Mai 2018 às 10:22

    A questão é que, quando há alguma revitalização urbana na capital, seja de chafariz, calçada de igreja, ou qualquer outro empreendimento, deve ser respeitada a estética da estrututura, entre outras coisas, senão eliminam a parte histórica de nós, contudo é emocionante ao ler esta matéria. Amo Cuiabá!

  • Waldineia Almeida
    20 Mai 2018 às 22:18

    Só para complementar uma curiosidade importante sobre o Palácio da Instrução que não foi mencionado na matéria nesse prédio histórico há 43 anos funciona a maior e mais Biblioteca pública do Estado a Estevão de Mendonça uma biblioteca com 106 anos de existência tendo o Palácio da instrução como segunda sede desde da sua criação.

Redes Sociais

Sitevip Internet