Olhar Conceito

Quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Notícias / Gastronomia

fornão massas

Há 35 anos, descendente de italianos faz sucesso vendendo massas artesanais no Araés

Da Redação - Isabela Mercuri

30 Jun 2018 - 09:48

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Há 35 anos, descendente de italianos faz sucesso vendendo massas artesanais no Araés
Quando Claudemir Fitipaldi veio do interior de São Paulo para Cuiabá, nos anos 80, transferido por uma empresa de construção civil, mal imaginava que ganharia a vida, na realidade, usando uma habilidade que vem de família. Descendente de italianos, há 35 anos ele vende massas artesanais. Na maior parte do tempo, em uma rotisseria instalada no bairro Araés.



Leia também:
Há mais de duas décadas, espetinho resiste às transformações na Praça Popular

Claudemir é mais conhecido como ‘seu Déco’, e, hoje, tem 73 anos. Veio para Cuiabá em 1980, e em 1983 inaugurou o ‘Fornão’. “Eu vi a necessidade, porque Cuiabá tinha muita deficiência em serviços, principalmente de alimentação, e eu vi a possibilidade. Mas também porque eu tinha um cunhado que tinha um restaurante na praia, e praia no Paraná é só de temporada, passou a temporada não tem movimento”, lembra. “E eu já morava aqui, e um dia ele veio aqui a passeio e gostou da cidade. E eu falei, então porque você não se instala pra cá? Porque Cuiabá era um eldorado nessa época, você ganhava dinheiro do jeito que queria, a hora que queria”.

O cunhado montou um restaurante na Avenida Estevão de Mendonça, e se saiu muito bem. Outro cunhado também veio, e abriu uma rotisseria, também bem sucedida. Vendo a família se dar bem, seu Déco decidiu também arriscar. Pediu demissão na empresa de construção civil, lembrou-se das receitas aprendidas com a mãe e a avó, e colocou, literalmente, a mão na massa.

O primeiro endereço do Fornão foi a Avenida Barão de Melgaço. Em três anos, Déco já conseguiu comprar um ponto no Araés, pra onde foi em 1986, e onde está até hoje, vendendo, basicamente, comida italiana.



Lasanha, canelone, nhoque, rondelli, macarrão. Todas as massas de seu Déco são feitas artesanalmente por ele e sua esposa, inclusive o molho, e sempre frescas. “Nós só compramos o industrializado que é indispensável, como presunto, muçarela, só isso. Todo o resto somos nós que fazemos. O molho eu compro só a fruta, só o tomate, e faço”.



Também estão disponíveis carnes assadas, frango, e outras guarnições de acompanhamento. Aos finais de semana, seu Déco também monta um buffet, e o cliente pode montar seu próprio prato e pagar por quilo. Nos dias de semana, ele vende marmitex por R$13. As massas são vendidas por porção, e os preços variam. A lasanha, por exemplo, custa R$45, e é a mais pedida, junto ao nhoque, que custa R$42.  

“A opinião que eu pego dos meus clientes é [que gostam da] qualidade. Até meu atendimento não é muito bom... porque é pouca gente, uma estrutura pequena, e isso aqui no final de semana fica uma loucura, é difícil. E eu não tenho como montar uma estrutura grande pra atender forte no final de semana. Porque meio de semana é muito fraco, o forte é no final de semana mesmo. E você montar uma estrutura com muito funcionário é oneroso”, confessa o empresário.

Para o futuro, ele não acredita que o Fornão continue com sua família, apesar de sua vontade. “Eu queria deixar pra algum filho meu assumir, mas não quiseram... um é médico, um é engenheiro, cada um seguiu seu rumo. Agora tem um neto que está com 15 anos. Vamos ver, eu já estou treinando ele aqui, mas vamos ver. Mas dificilmente... Eles [os filhos] aprenderam alguma coisa, mas não tudo. O pulo do gato não aprenderam. Esse eu deixei pra ensinar no final... mas não vou. À toa?”, finaliza.



Serviço

Fornão Massas
Telefone: (65) 3621-2312
Endereço: R. Ten. Eulálio Guerra, 714 - Araés
Funcionamento: Terça a domingo, no almoço
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet