Olhar Conceito

Terça-feira, 26 de outubro de 2021

Notícias / Política Cultural

fome não é fake

Com ponto de arrecadação no Pantanal Shopping, 'Natal sem Fome' espera arrecadar 2 mil toneladas de alimentos

Da Redação - Isabela Mercuri

17 Dez 2018 - 15:09

Foto: Reprodução

Com ponto de arrecadação no Pantanal Shopping, 'Natal sem Fome' espera arrecadar 2 mil toneladas de alimentos
Com o objetivo de entregar cestas básicas a mais de cinquenta mil famílias, o projeto ‘Natal sem Fome’ arrecada alimentos não perecíveis no Pantanal Shopping, em Cuiabá, até a próxima quinta-feira (20). Em 2017, foram arrecadadas 100 toneladas em todos os centros comerciais da Ancar Ivanhoe.

Leia também:
Grupo convoca voluntários para realizar ceia de Natal para moradores em situação de rua

Neste ano, o tema da campanha, realizada pelo Ação Cidadania, é "A fome não é fake". Nascido em 1993 e formando uma imensa rede de mobilização de alcance nacional para ajudar 32 milhões de brasileiros que, segundo dados do Ipea, estavam abaixo da linha da pobreza na época, o movimento social tem como conceito: solidariedade, todos nós podemos.

Entre 1993 e 2005 foram arrecadadas 30.351 toneladas de alimentos em todo o Brasil, beneficiando 3.035.127 famílias. Entre 2006 e 2010 foram distribuídos 2.300.000 brinquedos e 500.000 livros em todo o país.

De acordo com a assessoria, o objetivo da ação é arrecadar a maior quantidade possível de cestas básicas e entregar esses alimentos no Natal às mais de 50 mil famílias cadastradas nos comitês da Ação da Cidadania em 18 estados do Brasil. Ao todo, a meta de arrecadação nacional para o movimento idealizado pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, será de duas mil toneladas de alimentos não perecíveis.

As arrecadações acontecem em 19 empreendimento do grupo, em shoppings de todo o Brasil, ou através do site www.natalsemfome.org.br. A entrega dos alimentos será feita nos dias 21, 22 e 23 de dezembro em todos os estados participantes através da rede de comitês da Ação da Cidadania em todo o país, fazendo o alimento chegar a centenas de milhares de famílias em situação de insegurança alimentar.

Pelo terceiro ano consecutivo, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) anunciou um aumento no número de pessoas que sofrem de fome. No caso da América Latina e do Caribe, 39,3 milhões de pessoas vivem subalimentadas na região, um aumento de 400 mil pessoas desde 2016.
 
Segundo O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2018 (SOFI), em nível mundial quase 821 milhões de pessoas - cerca de uma em cada nove – foram vítimas da fome em 2017, um aumento de 17 milhões em relação ao ano anterior.
 
De acordo com José Graciano da Silva, diretor-geral da FAO, dados recentes divulgados pela Pnad Contínua, do IBGE, entretanto, sinalizam um aumento da extrema pobreza no país em cerca de 11% de 2016 para 2017 (de 13,3 para 14,8 milhões de pessoas). Tal incremento da pobreza extrema poderá, sim, refletir no aumento do número de pessoas que passam fome no país.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet