Olhar Conceito

Terça-feira, 22 de setembro de 2020

Notícias / Pets

Emanuel cria Fundo de Bem Estar Animal e quer captar recursos para proteção dos pets

Da Redação - Isabela Mercuri

11 Jan 2019 - 11:46

Foto: Reprodução

Emanuel cria Fundo de Bem Estar Animal e quer captar recursos para proteção dos pets
O prefeito Emanuel Pinheiro criou, no último dia 4 de janeiro, o Fundo de Bem Estar Animal (Funbea), com o objetivo de captar e aplicar recursos visando o financiamento, investimento, expansão, implantação e aprimoramento desses programas de proteção e bem estar dos animais.

Leia também:
Opa-MT pede doações de roupas e sapatos para bazar animal

De acordo com a assessoria, esse foi um compromisso firmado com a população cuiabana pelo prefeito. “A proteção ao animais é um avanço da sociedade atual, não é possível mais ser considerado ‘normal’ assistir agressões ou maus-tratos e simplesmente fingir que o problema não é nosso. A responsabilidade é de todos nós e eu enquanto prefeito, vou fazer o que estiver ao meu alcance para minimizar o sofrimento destes seres indefesos”, afirma.

A criação deste fundo foi uma das prioridades estabelecidas na gestão de Pinheiro. O Fundo Público Municipal é uma unidade contábil/orçamentária especial, sem personalidade jurídica própria, satisfeita nos termos da Lei número 6.344.

“A causa animal é um clamor nacional, mas, apesar de serem amplamente divulgadas notícias realizadas a maus-tratos e abandonos, casos como esses tem se tornado cada vez mais comum na sociedade. Diante desse cenário, Cuiabá não poderia ficar de fora sem estabelecer políticas públicas que fortaleçam ações protetivas. Esse fundo será de extrema importância para que sejam elaborados projetos e colocados em prática”, esclareceu o prefeito Emanuel Pinheiro.

Os recursos do fundo, segundo Emanuel, serão usados para custeio e financiamento de ações de controle e fiscalização de planos, programas e projetos especificamente voltados aos fins a que se destina a política pública voltada ao bem estar dos animais na Capital.

“Gostar ou não de animais pode ser uma opção, mas respeitar e reconhecer o seu valor é dever de todos. Quaisquer atos de maus-tratos, crueldade em geral, abandono e posse irresponsável são atos criminosos, que devem ser punidos com rigor, por afrontar direitos e garantias fundamentais dos animais”, finaliza.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet