Olhar Conceito

Terça-feira, 26 de outubro de 2021

Notícias / Política Cultural

todo estado

Mauro sanciona lei que define lambadão como movimento cultural e proíbe discriminação

Da Redação - Isabela Mercuri

15 Jan 2019 - 10:00

Foto: Reprodução

Mauro sanciona lei que define lambadão como movimento cultural e proíbe discriminação
O governador Mauro Mendes (DEM) sancionou, na última segunda-feira (14), uma lei que define o lambadão como movimento cultural e musical de caráter popular e proíbe a discriminação e preconceito contra a música ou a dança, em todo o estado de Mato Grosso.

Leia também:
Agora é lei: "lambadão cuiabano" é patrimônio cultural e imaterial de Cuiabá

O projeto de lei foi apresentado pelo deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), e define que em ‘lambadão’ está incluído a música, o jeito de executar os instrumentos, as danças e as coreografias praticadas pelos integrantes do movimento.

A lei define que o poder público deve assegurar ao movimento a realização de suas manifestações, como festas, bailes, shows, reuniões e festivais, sem quaisquer regras discriminatórias e nem diferentes das que regem outras manifestações da mesma natureza.

Além disso, os integrantes do movimento, como cantores, músicos e dançarinos, passam a ser definidos como agentes da cultura popular, e como tal, devem ter seus direitos respeitados. A Lei, de número 10.809, passou a vigorar no dia de sua publicação no Diário Oficial (14 de janeiro de 2019).

Em agosto de 2018, uma lei semelhante foi sancionada no município de Cuiabá: a Lei N° 23/2017, do vereador Mário Nadaf (PV).

Lambadão

O lambadão surgiu com os músicos que tocavam o rasqueado mato-grossense nos salões de dança como o 'Canecão', na década de 80. Eles aceleraram os compassos e depois de várias metamorfoses, surgiu o lambadão, que possui a identidade do rasqueado elétrico.

A popularidade desse estilo musical no país veio 1999, quando a banda de Poconé (103 km de Cuiabá) Estrela Dalva foi no “Programa do Ratinho”, na emissora do SBT, e fez uma apresentação destacando toda a "sensualidade pantaneira". Mesmo após 19 anos, o vídeo no youtube possui 94 mil visualizações.

O cantor de Poconé, Chico Gil, que na verdade se chama Francisco da Guia Souza, gravou quatro CDs, porém, o último não chegou a ser lançado oficialmente devido a sua morte no ano 2000, em um acidente de carro. Antes de ser famoso foi pedreiro, carpinteiro, garimpeiro e nunca estudou música nem técnica vocal. Mesmo após anos do seu falecimento, as suas canções são populares quando se trata desse estilo musical.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet