Olhar Conceito

Quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Notícias / Gastronomia

Arado Natural fecha as portas após um ano e meio: “crise e preconceito com as novas ideias”

Da Redação - Isabela Mercuri

03 Jul 2019 - 10:12

Foto: Pedro Brites

Arado Natural fecha as portas após um ano e meio: “crise e preconceito com as novas ideias”
O restaurante Arado Natural, que abriu as portas em fevereiro de 2018, anunciou em suas redes sociais nesta quarta-feira (3) que não vai mais funcionar. O prédio está à venda com ponto, estrutura e equipamentos. Segundo a publicação, o motivo foi a crise econômica e o “preconceito com relação a novas ideias e experiências gastronômicas em nossa capital mato-grossense”.

Leia também:
Unindo restaurante de produtos naturais, empório orgânico e gastro-bar sustentável, 'Arado' abre as portas nesta quarta

A ideia do local era inovadora: unir um restaurante de produtos naturais, um empório orgânico e um gastro-bar sustentável. Os sócios, no início, eram Marcelo Tadeu Fraga, Silvia Trevisan, e Nayara Mohr. Nayara deixou a equipe após um tempo, e o chef Irapuã Carvalho chegou a fazer parte do time por um tempo.

Com a ideia de ser um espaço sustentável, que respeitasse todos os tipos de vida, natural e com o objetivo de estimular um estilo de vida saudável e prazeroso, o Arado só servia pratos vegetarianos ou veganos, e usando prioritariamente produtos naturais e locais, todos cultivados sem agroquímicos. O restaurante também usava em suas finalizações ingredientes de sua própria horta, e as chamadas PANCs, plantas alimentícias não convencionais.

O empório, localizado como que na ‘ante-sala’ do restaurante, comercializava somente produtos orgânicos, como massas de tomate, leite condensado de biomassa de banana verde, temperos, geleias, doces, chocolates, sucos integrais, vinho, cervejas artesanais, massas, chás e molhos de pimenta.  

Em maio deste ano, o Arado chegou a ganhar em duas categorias do Prêmio Veja Comer & Beber: ‘Melhor Refeição Saudável’ e ‘Novidade do Ano’. Na publicação de despedida, os proprietários afirmam acreditar que “a semente do Arado Natural permanece em nossos corações e em breve novos brotinhos vão surgir por aí”.

Leia a íntegra da nota:

E assim chegamos ao final desta safra, com muita gratidão e amor pelos belos frutos colhidos... O Arado Natural encerra suas atividades como restaurante em Cuiabá, pois a crise econômica vivida pelo Brasil e o preconceito com relação à novas ideias e experiências gastronômicas em nossa capital mato-grossense foram barreiras que, neste momento, tornaram o “negócio” inviável economicamente.

Porém a semente do Arado Natural permanece em nossos corações e em breve novos brotinhos vão surgir por aí. Continuaremos ligados e sendo parte do movimento do bem, da sustentabilidade e da alimentação natural que nos permite viver em harmonia com a Mãe Terra. Acompanhe as novidades aqui em nossa página.

O lindo espaço do Arado Natural está à venda (ponto, estrutura e equipamentos). Quem tiver interesse entre em contato conosco (WhatsApp 65 9205-4583). Desejamos que um novo empreendedor venha desenvolver suas atividades, conservando e propagando toda a energia boa que daqui emana. Agradecemos ao universo, à Cuiabá e a todos que de alguma forma se conectaram com o Arado Natural. É um lindo capítulo desta história que se encerra, dando oportunidade para que um novo se inicie... #aradonatural

38 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • João
    04 Jul 2019 às 15:53

    Erram na estratégia ao precificar os produtos de forma abusiva. Muito caro e pouca quantidade.

  • Marcio Silva
    04 Jul 2019 às 12:54

    Fui uma vez pra conhecer, me senti roubado, mas não só pelo preço absurdo, também pelo sabor, pior macarrão ao pesto que ja comi, massa dura, gosto de pesto passou longe, a burrata sequissima, FECHOU PQ ERA RUIM E CARO, bobo tchera tchera

  • Andre
    04 Jul 2019 às 10:39

    A arrogancia da Silvia até que demorou pra matar o restaurante. Falta humildade até para dizer que fracassou, jogando o fracasso no colo dos cuiabanos dizendo essas bobagens de crise e preconceito. Existe um restaurante chamado Raposa Vegana que ta aí no mercado vendendo seus produtos com preços acessíveis e não jogam a culpa nos que não consomem seus produtos. E só pra ilustrar um caso que aconteceu comigo: Fui com uma amiga de Ribeirão Preto no começo do ano e ao olhar o cardápio ela deu risada e falou pra gente ir comer em outro lugar porque "eu sou vegana mas meu dinheiro não é capim". A proposta era ótima e o local maravilhoso, mas a ganância absurda e arrogância mataram o "sonho".

  • vegana consciente
    04 Jul 2019 às 09:55

    o espaço e maravilhoso, mas infelizmente so pode frequentar la juiz, promotor, defensor, ou empresario que tem renda acima de 30 mil liquido. tudo muito caro. compensa ir comer no nativas que vc paga 80 reais e come a vontade.

  • Cuiabano Pale To
    04 Jul 2019 às 09:32

    Preconceito? As pessoas são obrigadas a serem veganas, vegetarianas? Pelo visto o preconceito está enraizado em que realizou a nota fúnebre do restaurante..... Cada um come o que Quer.... e o fracasso não é culpa do "preconceito", é do conceito oferecido pelo restaurante.

  • Véio Joaquim
    04 Jul 2019 às 09:10

    Só servia pratos vegetarianos ou veganos ?? Me digam, qual o percentual de gente no MUNDO adepto a esse "regime" ? Eu adoro CARNE e Legumes, sem preconceito....

  • Verdadeira
    04 Jul 2019 às 07:41

    De tanto ouvir falar, acabei indo lá... o quintal era lindo e maravilhoso, o atendimento era excelente, mas a comida, só por Deus. Pedi um porção de bolinho frito e um sanduíche. Gente, só vendo para acreditar. O hamburguer era de feijão preto meio mole... parecia fezes... o tal bacon era lascas de coco, um tomate seco e umas folhinhas de rúcula.. Pessoal, paguei R$ 79,00 (setenta e nove reais) por quatro bolinhos horríveis, um sanduiche com uma aparência de fezes mole por dentro e um suco de maracujá com duas folhinhas de erva-cidreira. Até hoje choro as pitangas pelo valor abusivo. E o pior.. deixei tudinho no prato. Mordi o bolinho e entalei de tão ruim... abandonei e mordi o sanduiche ... aquele feijão preto molengo por dentro... fez meu estomago embrulhar... e o suco... economizaram ao máximo na polpa... era longe o sabor do maracuja com erva-cidreira, bem aguado. Mas o preço assustador de R$ 79,00 reais tive que pagar. A meu ver, esse restauranteco durou muito... deveria ter fechado antes que eu aparecesse lá para ser assaltada.

  • Henrique Dias
    04 Jul 2019 às 07:22

    Se tivessem a humildade de apenas entender que nem todos gostam de comida vegana ou vegetariana talvez poderiam continuar abertos, mas achando que quebraram por culpa de quem não gosta desse estilo de comida nunca terão sucesso. O espaço foi aberto para um público específico que talvez não seja tão grande quanto imaginavam. Respeitem a opinião de todos.

  • Anônima
    03 Jul 2019 às 22:28

    Os altos preços dos pratos aliado a incompetência da administração e falta de valorização dos funcionários fecharam o Arado.

  • Claudio Carvalho
    03 Jul 2019 às 19:30

    Entendo a questão da crise e para driblar essa crise, nada melhor que a velha receita do MKT, quem não é visto não é lembrado, sempre estou atento as novidades nas redes sociais e afins, e como ótimo curioso iria, se soubesse, ao menos para conheced...não vi nenhuma menção a este restaurante mix, talvez faltou divulgação, agora falar em preconceito é um pouco de mimimi de mais né galera. Faltou divulgação, isso sim.

Redes Sociais

Sitevip Internet