Olhar Conceito

Quarta-feira, 14 de abril de 2021

Notícias / Comportamento

novas mídias

Disponível no Spotify, podcast produzido por estudantes da UFMT fala sobre a mulher no esporte

Da Redação - Isabela Mercuri

05 Set 2019 - 14:17

Foto: Ministério do Esporte

Marcelly Costa

Marcelly Costa

O podcast ‘Ditando Regras’, disponível no Spotify e no Anchor, foi lançado no último sábado (20). Produzido por estudantes de Jornalismo, Radialismo e Publicidade, da Faculdade de Comunicação e Artes (FCA), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o programa fala sobre a atuação das mulheres no esporte.

Leia também:
UFMT seleciona cheerleaders para representar universidade em competição na Bahia

No primeiro episódio, a entrevistada foi a atleta Marcelly Costa, jogadora no time do Operário de Várzea Grande em Mato Grosso e artilheira no Campeonato Matogrossense de Futebol Feminino deste ano, que começou a jogar aos sete anos com os meninos do bairro em que morava na periferia do Rio de Janeiro.

O projeto foi feito sob orientação do professor Luãn Chagas, e integra o projeto de extensão Comunicast, de elaboração de podcasts sobre diversos temas. Marcella Vieira, estudante de Radialismo e umas das integrantes do projeto, afirmou que a experiência de debater acontecimentos como esse com outras meninas tem sido motivo de alegria e aprendizagem para. “Toda a experiência tem agregado muito para mim, não apenas por poder conhecer mais o mundo esportivo, mas também por poder falar sobre representatividade feminina com mulheres. Nós sempre falamos, lugar de mulher é onde ela quiser e realmente acreditamos nisso”.

Emile Botelho, que acompanha futebol desde criança, destaca a confiança que tem adquirido para comentar sobre algo que gosta tanto. Segundo ela a companhia feminina tem sido importante no processo: “Sempre gostei muito de futebol e poder falar sobre isso com meninas é muito bom, pois eu me sinto muito mais à vontade. Como futebol é um esporte comentado e acompanhado predominantemente por homens, às vezes eles acreditam que por sermos mulheres nós não sabemos tanto quanto eles, mesmo que a gente saiba”, aponta a estudante de publicidade.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet