Olhar Conceito

Notícias / Literatura

Janina anuncia megastore de quatro andares com café, papelaria, espaço infantil e mais

da Redação - Isabela Mercuri

26 Dez 2019 - 16:34

Foto: Reprodução / Ilustração

Janina anuncia megastore de quatro andares com café, papelaria, espaço infantil e mais
A livraria Janina mudará sua sede para uma megastore de quatro andares e mais de mil metros quadrados, localizada na esquina da Prainha com a Avenida Getúlio Vargas. As reformas já estão avançadas, e a loja deve abrir ainda no primeiro semestre de 2020.

Leia também:
Restaurante italiano Serafina, ícone em NY, abre unidade em Cuiabá

Segundo o gerente da Janina, Leandro Cerqueira, a central, que fica na mesma rua, mudará para este novo espaço. “Ainda não temos a data de inauguração. A expectativa era de abrir antes do Natal, mas como obra é sempre imprevisível, ainda não sabemos”, disse ao Olhar Conceito.

A ‘megastore’ terá, além da livraria, papelaria, presentes, informática, revistas, cybercafé, área infantil, auditório e convênio com estacionamento. A loja tem 42 anos de história. Nasceu em 1977 em Cuiabá e tem, hoje, disponíveis em seu estoque mais de 150 mil títulos diferentes e 500 mil títulos cadastrados.
 
A livraria possui, atualmente, lojas nos shoppings Pantanal e Várzea Grande, além de unidades na Universidade de Cuiabá (Unic) e Centro Universitário de Várzea Grande (Univag) e a sede, no centro, que mudará para o prédio de quatro andares.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Realista
    27 Dez 2019 às 19:46

    Legal essa iniciativa. Comprei muitos livros na Janina. Sou cliente há muito tempo. Livro é um investimento. Boa sorte nos novos negócios.

  • Cramulhão
    27 Dez 2019 às 10:22

    Tempo bom hein Marínio? Voce vendia livros fiado na rodoviária da UFMT. Fiquei fregues até hoje. E acredito que ninguém deu cano. Afinal, quem tem coragem de não pagar livros?

  • Felipe Moura
    27 Dez 2019 às 10:20

    Até que fim! Fico impressionado com a falta de ambição dos empresários do estado! Janina e Adeptus dominaram o mercado de livros por anos e nunca se reinventaram.

  • Rodrigo Marinho
    27 Dez 2019 às 09:57

    Livraria maravilhosa. Bem administrada pelo Sr. Marinio, um homem como poucos. Nunca sai da Janina de mãos abanando pois seu acervo é muito rico. Amo livrarias e certamente frequentarei muito essa nova loja.

  • alberico
    27 Dez 2019 às 07:46

    Boa Sorte !!!!!

  • João Paulo
    27 Dez 2019 às 04:55

    Se for pra ter apenas livro de autoajuda e biografia de gente supostamente importante, como tem nas lojas atuais, vai valer mais pela cafeteria.... No mais, é preciso investir mesmo na cafeteria e em conforto. E também em mão de obra: chega de mocinhas bobinhas com cara de estudante universitária se oferecendo: "Posso ajudar?" Um saco. Claro que não pode. Essas moças que trabalham no balcão não sabem fazer um pacote de presente. Por mais mulheres competentes no mercado de trabalho. De preferência que a livraria fique aberta até pelo menos 20h, pois é o horário possível de fazer compra depois do trabalho. No mais, faz falta uma loja no Goiabeiras, que é o shopping mais tranquilo para se fazer compra e onde não se tem que andar muito.

  • Rosana Campos
    26 Dez 2019 às 22:19

    Em meio às garimpagens livrescas, uma livraria que existe desde 1977 e que tantas vezes nos fez sair de lá com embrulho nas mãos e felicidade de criança é o que nos fascina como leitor. Vivas à etiqueta azul klein, vermelha, amarela e branca em 2020 e parabéns ao trabalho livreiro cuidadoso de sempre, Leandro.

  • Gabrielly
    26 Dez 2019 às 20:14

    Do que adianta isso se o preço dos livros não são nenhum pouco acessíveis? É só vc ir até a loja, ver o preço de um livro e logo depois procurar o mesmo na internet, a diferença é gritante.

  • cidadão
    26 Dez 2019 às 18:42

    uma pessoa visionária . . . faz mais de 40 anos no ramo , , , falou em livros, falou na Janina . . . Vende pá burro, não perde uma licitação . . .

  • Ricardo
    26 Dez 2019 às 17:37

    Enquanto assistimos ao fechamento de grandes livrarias, uma surpresa como essa, e no centro, ainda por cima, região da cidade carente de atrativos. Parabéns pela iniciativa. Escolher um livro em loja física é um prazer insubstituível.

Redes Sociais

Sitevip Internet