Olhar Conceito

Terça-feira, 09 de março de 2021

Notícias / Turismo

Parque Nacional de Chapada deve ir a concessão ainda em 2020 e projeto vai beneficiar turismo, diz secretário

da Redação - Isabela Mercuri

26 Jan 2020 - 14:15

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Parque Nacional de Chapada deve ir a concessão ainda em 2020 e projeto vai beneficiar turismo, diz secretário
O Parque Nacional de Chapada dos Guimarães e outros sete do Brasil devem ser concedidos à iniciativa privada ainda em 2020, segundo o secretário adjunto de Turismo do Estado de Mato Grosso, Jeferson Moreno. Segundo ele, a mudança será benéfica para o turismo na região, com melhoramento de trilhas e instalação de mais estacionamentos.

Leia também:
Secretário afirma que ‘publicidade’ aos casos de suicídio não afeta turismo da região do Portão do Inferno

“O presidente Bolsonaro já autorizou a fazer a concessão dele, e provavelmente este ano deve ser a concessão do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, e vários outros parques do Brasil”, confirmou ao Olhar Conceito. De acordo com o secretário, o edital ainda não foi publicado, e ele mesmo já fez algumas provocações ao Ministério, mas aguarda resposta.

Com a concessão, a empresa vencedora teria o direito de explorar turisticamente o local, mas a fiscalização continuaria nas mãos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

“Com melhoramento das trilhas, melhoramento dos pontos turísticos que tem dentro do Parque Nacional de Chapada, trazendo benefício ao turista. E tem alguns projetos em andamento a nível de governo federal para melhoria da concessão”, explicou.

Portão do Inferno

Recentemente, o ‘Portão do Inferno’, que está também dentro do Parque, tem ganhado a mídia por causa do grande número de casos de suicídio e tentativa de suicídio. Com um mirante acessível à margem da rodovia MT-251, o local é também ponto de visitação – de acordo com o secretário, no entanto, é proibido estacionar por ali.

Segundo o próprio ICMBio, uma ação civil foi movida em 2009 pelo Ministério Publico Estadual de Mato Grosso devido à fragilidade geológica do arenito que forma o paredão naquele ponto. Na época, funcionava ali um estabelecimento comercial, que teve que sair por expor os visitantes a riscos como a proximidade com o paredão, trânsito da estrada e deslizamentos de terra.

No entanto, como consequência, as pessoas passaram a ir até o calçamento do viaduto da estrada para contemplar a paisagem. “Embora não estivesse implicado na decisão judicial, e dois anos antes de esta ser proferida, o ICMBio instalou placas que advertem o visitante sobre os riscos associados à área, bem como uma cerca que delimita as porções com proibição de acesso”, disse a assessoria.

A ideia, agora, é estruturar melhor o local para o turismo. Para isso, a Associação Pró-Desenvolvimento de Chapada dos Guimarães (APRODEC) encomendou um estudo geológico, depois doado à SEADTUR (Secretaria Adjunta de Turismo de Mato Grosso), que indica as áreas geologicamente mais estáveis para instalação de trilhas, estacionamento e outros.

O estudo, agora, encontra-se com a Seadtur. Foi feita pelo ICMBio uma proposta de alteração do plano de manejo para que, futuramente, possa haver estruturas de apoio ao uso público na área. “O Estado de Mato Grosso tem demonstrado interesse em auxiliar na implementação de infraestrutura no local”, declarou o instituto.

De acordo com o secretário, no entanto, a espera é do governo. “Já fizemos algumas provocações no ICMBio, e estamos aguardando retorno para saber se foi acolhido ou não o que a gente pensou pra lá”, disse Moreno.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet