Olhar Conceito

Notícias / Música

MUDANÇA DE ARES

Ex-sertanejo, mato-grossense se tornou DJ e se dedica à música eletrônica

da Redação - Isabela Mercuri

11 Fev 2020 - 11:02

Foto: Divulgação

Ex-sertanejo, mato-grossense se tornou DJ e se dedica à música eletrônica
O contato de Denner Patrício Cabral, 30, natural de Barra do Garças, com o sertanejo começou muito cedo. Ao lado do irmão, Douglas, ele ingressou em uma dupla aos nove anos de idade, e seguiu na carreira até os dezesseis, quando descobriu na música eletrônica uma nova paixão. Depois de uma temporada em Barcelona, decidiu encarar o novo desafio, e embarcou em uma carreira – pelo menos em Cuiabá – muito mais difícil de decolar. Desde o ano passado, investiu ainda mais e está vendo o sonho se realizar aos poucos, tocando em casas noturnas da capital e até em eventos nacionais.

Leia também:
Evento beneficente tem exposição de fotos e shows regionais em prol de baterista

Denner construiu a sua própria marca: DJ Denner Cabral. “Na época eu não me identificava muito com o sertanejo. Não que eu quisesse parar a dupla”, contou ao Olhar Conceito. “Mas como a gente parou, e com a convivência em Barcelona... Eu trabalhava com evento, a gente promovia as festas que aconteciam lá, trabalhava de terça a domingo, cada dia numa casa noturna diferente. Lá a cena é bem forte, e eu convivia muito com isso, então eu fui gostando, me identificando, fui aprendendo, entendendo”, lembra.

Depois que voltou de Barcelona, Denner mudou-se para Vitória (ES), e também fez um curso intensivo de férias na ‘DJ Ban’, em São Paulo. De volta a Cuiabá, passou um tempo parado, mas com a ajuda de um amigo começou a tocar em algumas festas, quando conseguia equipamento emprestado. Aos poucos, foi ganhando espaço, e hoje, além de festivais, toca na Valley, Malcom, casamentos e formaturas.

“Eu toco mais house e gosto muito de uma pegada mais focada no disco”, afirma, “[mas] acaba que eu tenho trabalhado de uma forma mais aberta. Eu não consigo mais trabalhar ultimamente em um estilo [só], porque você se limita. E se você trabalha só, por exemplo, com house, algo mais autoral, só vai tocar em evento de música eletrônica, que ultimamente são poucos, são pequenos. Quando você abre um pouco mais, vai fazer formatura e casamento, é uma coisa que acontece o ano todo e tem uma remuneração boa. Então você precisa abrir um pouco seu leque de estilos musicais. Abrir pro house, pro pop, pro funk...”.

Dj Denner Cabral (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto)

Segundo Denner, a cena eletrônica cuiabana ganhou forças em meados de 2009, quando ainda existia o Garage. Convivendo com o irmão, que segue na dupla sertaneja, é visível para ele a diferença de público e oportunidades. “O sertanejo é bem mais forte em sentido de público, a opção de evento é bem maior, [é] bem melhor remunerado, se for pensar em artistas locais”, declara.

Para continuar crescendo, o objetivo de Denner é fazer um curso de produção, em São Paulo ou Curitiba, além de focar na cena local e em eventos nacionais. “Em outubro eu fiz um evento grande em Vitória, chama ‘Exagerado’, é um dos maiores eventos de varejo de moda do Brasil”, conta. “Trabalhei na parte de produção e fui o DJ do evento inteiro, então eu criei trilha, tocava no evento, nas aberturas dos shows... e em maio vai ter outra edição”, comemora.

“Eu fiquei muito tempo parado, sem tocar. E da metade do ano passado pra cá foi muito legal a procura, a aceitação do público... fiz um réveillon grande no Brasil Beach, foi muito legal. As casas noturnas têm me chamado, eu toco na Valley semanalmente, no Malcom a gente está fazendo uma parceria com o Rau Lizzard e foi bem legal a primeira noite, a galera curtiu bastante. Possivelmente mês que vem vai ter outro”, finaliza.

Acompanhe o trabalho de Denner pelo INSTAGRAM e SOUNDCLOUD.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet