Olhar Conceito

Notícias / Música

DESENVOLVIMENTO

Professores abrem escola de musicalização infantil: ‘a gente tenta sensibilizar a criança’

Da Redação - José Lucas Salvani

03 Mar 2020 - 09:48

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Professores abrem escola de musicalização infantil: ‘a gente tenta sensibilizar a criança’
Gabriel Rodrigues Campos e Luana Aparecida da Silva Fonseca, ambos de 24 anos, se conheceram na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), durante o curso de Música, e abriram uma escola de musicalização infantil há cerca de três semanas. A proposta é sensibilizar crianças de até seis anos quanto aos sons para que, posteriormente, sejam introduzidas a instrumentos musicais como violão e piano. A musicalização também ajuda no desenvolvimento da criança.

Leia mais:
Seven Mônica cria vaquinha para conseguir gravar seu primeiro videoclipe

“A gente sempre tenta sensibilizar a criança a descobrir o que é a música desde cedo, que é algo que já está dentro dela, mas que vai descobrindo aos poucos. Nós sempre começamos com uma música de acolhimento, chamando as crianças para sentar conosco. Também há uma música de apresentação em que elas mesmas se apresentam no ritmo da música”, conta Gabriel.

Gabriel estudou violão sozinho desde pequeno, entra na UFMT e conheceu a musicalização por meio de um projeto da Universidade, passando a se apaixonar por trabalhar com crianças. Já Luana é natural de Santo Antônio do Leverger (a 36 km de Cuiabá), fazia parte de um coral e também conheceu a musicalização pela UFMT.

Os dois ficaram apaixonados pelo trabalho, mas com o fim do curso próximo começaram a cogitar ter um projeto próprio. Assim nasceu a Escola de Musicalização Infantil Tchás Crianças. Com mais de três semanas em atividade, a escola possui quatro turmas aos sábados, com 20 alunos no total, entre nove meses e seis anos de idade. Novas turmas nas terças e quintas-feiras devem ser abertas em breve.

As aulas duram cerca de 50 minutos cada e geralmente os alunos vêm acompanhados dos pais durante a aula. Os professores tentam ministrar com as crianças sozinhas, mas ainda não é possível porque são muito apegadas aos seus genitores.
 

Então a solução acaba sendo com que os pais façam as atividades junto das crianças. As atividades consistem desde o descobrimento de algum instrumento, como o pandeiro, que foi apresentado na semana de carnaval, até o incentivo a descobrirem sons com seus próprios corpos. “A gente pede para que eles vivenciem tudo que for apresentado na aula”, explica Luana.

Não somente para introduzir posteriormente a instrumentos musicais, a musicalização auxilia no desenvolvimento da criança. Para muitas delas, inclusive, é a primeira vez em que convivem em grupo, o que resulta em frutos para quando são matriculadas em escolas.

“Temos muitos estudos que apontam a música como uma ajuda muito grande no desenvolvimento intelectual, fala, coordenação motora, espacialidade, na relação em grupo. Como essas crianças, normalmente, são muito pequenas, muitas delas não vão para escola. Então essa é a primeira fase de ter aula e convivência efetiva em grupo. A gente sempre ouve falar que depois que vivenciam isso aqui, é mais fácil para inserir essas crianças no meio escolar”, conta.

Os interessados a matricular seus filhos podem entrar em contato com (65) 99696-2842.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet