Olhar Conceito

Sábado, 19 de setembro de 2020

Notícias / Política Cultural

56% dos artistas não têm renda na quarentena; Secel garante R$300 mil para todos os segmentos

Da Redação - Isabela Mercuri

27 Mar 2020 - 14:12

Foto: Reprodução

56% dos artistas não têm renda na quarentena; Secel garante R$300 mil para todos os segmentos
Uma pesquisa realizada pelo Movimento de Artes Cênicas de MT mostrou que pelo menos 56% dos artistas não têm outra fonte de renda e estão desamparados durante a quarentena. Como medida emergencial em relação a essa situação, a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) afirmou que vai garantir R$300 mil para artistas de todos os segmentos que se encontram em situação de risco e/ou vulnerabilidade social.

Leia também:
Músicos criam campanha de doação para conseguir sobreviver durante quarentena
 
A medida veio após articulação do ‘RESPIRACENA’, campanha do Movimento de Artes Cênicas de MT, com uma série de ações para o enfrentamento da crise. Na última quarta-feira (26), um encontro online foi realizado entre cerca de 40 artistas de todo o estado e o secretário Allan Kardec, o secretário adjunto Paulo Traven e os técnicos Jan Moura, Cintia Mattos. Ainda estiveram presentes o Pró-reitor de cultura da UFMT Professor Renilson Rosa e o Coordenador da Editora da UFMT, Francisco Xavier Freire.
 
Os artistas propuseram ações de curto, médio e longo prazo e apresentaram um panorama do estado, mostrando que pelo menos 49% dos artistas trabalham no setor há mais de dez anos. Eles pediram uma ação emergencial para suprir necessidades básicas de alguns artistas em situação mais crítica, além de ações de fomento, cursos, oficinas, workshops e até bolsas manutenção, com contrapartidas on line ou presenciais após o prazo de isolamento social.
 
O Movimento de Artes Cênicas funciona como uma articulação autônoma de discussões e debates que já realizou projetos coletivos, seja em parceria com o Poder Público ou por articulações internas com os próprios artistas. Nesta situação, ele criou um expediente para realizar um levantamento dos impactos do coronavírus no setor, e atingiu em dois dias um número record de quase 200 respostas, que revelou que 56% dos artistas que responderam não ter outro tipo de renda a não ser o seu fazer artístico. (O formulário continua online recebendo respostas e pode ser acessado no AQUI).
 
Além da articulação com o governo, também estão sendo pensadas ações solidárias de distribuição de cestas básicas, vaquinhas para auxiliar artistas em situação de maior vulnerabilidade e campanhas de doação na internet.
 
A SECEL também apresentou um calendário de ações culturais para o Estado, totalizando um investimento de cerca de 10 milhões de reais, e afirmou que está estudando a melhor maneira de conduzir os processos para liberação do recurso, mas confirmou a data de segunda-feira (30/03) um parecer de como se darão os processos.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Luiz Imperial
    18 Abr 2020 às 09:29

    MP fique atento, isso cheira a peixada, porque os artistas não entram na fila dos R$600,00 do governo federal? Vejamos a qualidade desses "trabalhos, espero que algum promotor de justiça acompanhe para evitar os apadrinhamento e direcionamentos políticos.

  • Carlos
    27 Mar 2020 às 16:59

    a arte também é necessária neste momento! muitos artistas da nossa terra estão pasando necessidades

  • Sandra Pedra 90
    27 Mar 2020 às 14:58

    Se virem...

  • MT mais forte
    27 Mar 2020 às 14:24

    Parabenizo a iniciativa mas esta hora da classe se formalizar tornando imei

  • Michele
    27 Mar 2020 às 14:22

    Vão carpir lote... Esses "artistas" daqui não têm renda nunca... Se não fosse a secretaria de cultura pra "dar uma força" ... Passariam fome

Redes Sociais

Sitevip Internet