Olhar Conceito

Domingo, 25 de outubro de 2020

Notícias / Comportamento

Sem conseguir voltar para casa, estudante chilena precisa de ajuda para se manter em Cuiabá

Da Redação - Isabela Mercuri

14 Abr 2020 - 14:45

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto / Reprodução (Detalhe)

Sem conseguir voltar para casa, estudante chilena precisa de ajuda para se manter em Cuiabá
Morando em Cuiabá desde 2018, quando veio para um programa de intercâmbio de pós-graduação, a chilena Valeska Paulina Aguilera Mánquez, 27, defendeu sua dissertação no último dia 13 de março, quando deixou de ser uma bolsista da Capes. No entanto, ela não conseguiu voltar para casa, já que todos os voos foram cancelados por conta da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Agora, ela precisa de ajuda para se manter em Mato Grosso.

Leia também:
Organização arrecada alimentos para imigrantes em situação extrema

Valeska cursou o mestrado em Antropologia Social na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e há dois anos se dedicava exclusivamente ao curso, como bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Assim que apresentou a defesa de sua dissertação, com o tema “As narrativas de violência de gênero publicadas nas redes sociais”, ela deixou de receber a bolsa.
 
“Originalmente meu vôo de retorno ao Chile estava marcado para final de março, entretanto, devido a pandemia do Coronavírus o vôo foi cancelado. A Aerolínea cancelou todos os vôos internacionais, sem reembolso das passagens, impossibilitando o regresso ao meu país. Nesta situação contactei o consulado, mas até o momento não há quaisquer indícios de vôos humanitários”, lamenta, no texto da ‘vaquinha virtual’ que criou para pedir ajuda.
 
Segundo Valeska, no entanto, ela não é a única estudante nessa situação. Pelo menos nove estrangeiros também não conseguiram voltar para seus países, dentre haitianos, colombianos, e outros.
 
“A gente se comunicou com a SECRI, que é a Secretaria de Relações Internacionais e a Propg [Pró Reitoria de Pós Graduação], eles falaram de um possível auxílio, mas nunca chegou”, lamentou a estudante.

“Diante desta situação, permaneço em Cuiabá e com bastante dificuldade em me manter por aqui. Como minha bolsa foi cancelada em março e não há a disponibilidade da alimentação no Restaurante Universitário (RU) estou com bastante dificuldade. Atualmente não tenho condições de arcar com as despesa básicas como aluguel e alimentação”, conta.

Valeska calcula gastos em torno de R$ 4 mil (R$ 1 mil por mês) para se manter até o mês de julho em Cuiabá, quando ela acredita que a situação estará normalizada. Quem quiser e puder ajudar, deve entrar na vaquinha virtual AQUI.

Veja abaixo o posicionamento da UFMT
 
A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) tem acompanhado de perto os diferentes casos de estudantes em mobilidade internacional da Instituição, buscando atender a todos em suas especificidades.

No caso dos estudantes de pós-graduação, seguindo as regras dos editais de mobilidade internacional, as bolsas de estudo são interrompidas após a conclusão dos respectivos cursos.

Entretanto, considerando a situação atípica daqueles que não conseguiram retornar para seus países de origem, a Instituição solicitou o auxílio do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (GCUB), que se prontificou a intermediar o contato destes alunos com as embaixadas e, assim, buscar a melhor solução para cada caso.

Além disso, a UFMT estuda meios legais de destinar recursos próprios para auxiliar estes estudantes com a alimentação e a moradia, durante o período da pandemia.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet