Olhar Conceito

Sábado, 19 de setembro de 2020

Notícias / Gastronomia

‘Queridinhas’ do delivery, hamburguerias se reinventam para sobreviver à crise

Da Redação - Isabela Mercuri

28 Mai 2020 - 09:13

Foto: Reprodução

Burgers do Rock, Jymmy e TBL

Burgers do Rock, Jymmy e TBL

São mais de dois meses sem abrir as portas, mas não sem trabalhar. Se antes o delivery representava 25% do volume das vendas do Rock Burger – vencedor do prêmio Veja Comer & Beber em 2019 e 2018 – hoje a regra é se reinventar para atrair os clientes que, presos em casa, têm uma gama de produtos à disposição a um clique de distância.

Leia também:
Confeiteira cuiabana cria ‘caixa junina’ para manter tradição mesmo em isolamento social
 
Segundo o proprietário da hamburgueria, Wilson Lima, as vendas do delivery aumentaram 110% - o que corresponde, hoje, a cerca de 50% do volume total de quando a casa estava aberta. A empresa teve que fazer demissões e suspensões de funcionários, segue com apenas 25% do pessoal, e também diminuiu um dia de funcionamento, passando a fechar às segundas-feiras.
 
Mas, para atrair o público, os empresários também pensaram em novidades. Uma delas foi aproveitar a onda dos ‘chefs da quarentena’ e vender kits para que os clientes fizessem sua ‘hamburgada em casa’. Por R$59, o comprador leva quatro hambúrgueres de 180 gramas crus, quatro pães brioche, oito fatias de cheddar, 150g de maionese da casa e 150g de cebola caramelizada. “A gente está investindo em experiência do consumidor. Também temos novas embalagens com QR code com a playlist do Rock Burger... a pessoa pode aponta o celular para o QR code, e então vai estar na casa dela curtindo a mesma playlist que está tocando na nossa casa”, explica.
 
Mesmo assim, a vontade do empresário é de que as portas possam reabrir logo. E a expectativa é boa. “A gente acredita que na primeira quinzena de junho a gente retoma. Com algumas restrições, distanciamento de mesa, uso de máscara, luva, álcool em gel, todas as normas e diretrizes das organizações de saúde”, comemora. “E a gente acredita que as pessoas estão loucas pra poder frequentar o restaurante! Claro que tem uma parcela que não quer, mas estamos fazendo enquetes, e o resultado deu que 60% vai voltar nos próximos dias a frequentar, outra parte após 30 dias, e uma minoria voltaria entre 60 e 90 dias”.
 
Exclusividade
 
De uma hora para outra, o empresário Lúcio Almeida, que já trabalhava somente com delivery na TBL, viu sua concorrência aumentar muito. “Muito concorrente não focava em delivery e acaba focando... concorrente nacional como Madero e McDonalds, Burger King, que tinham serviço, mas não focavam a força deles no delivery”, explica. “E eles têm ate uma preferencia de negociação com o iFood e outras plataformas, porque são grandes. Até mesmo dentro da cidade restaurantes que tiveram que participar de algum jeito, como Hous Beef, Choppão, Urus, 154... todos estão colocando burger no cardápio pra vender, a concorrência aumenta e a qualidade está melhor, porque os caras tem que entrar com padrão alto”, explica.
 
Na prática, sua rotina de trabalho não mudou. Ele, inclusive, abriu mais um centro de distribuição em um novo bairro – algo que já estava planejado antes da pandemia. No entanto, encontrou problemas com seus fornecedores. “O fornecedor tem bastante dificuldade de comprar matéria prima ou mercadoria. Para alguns produtos, ekes contavam com a venda de outros restaurantes, que fecharam operação, então acaba faltando”, lamenta. Com esta nova realidade, Lucio teve que fazer a substituição de alguns produtos que vendia.
 
Outra adaptação foi em relação às entregas. “Muitas vezes o cliente solicita que não haja contato com o entregador, e isso até otimiza a logística. O entregador só deixa na porta ou na portaria. E a cobrança em cima deles está grande para usar máscara. Se está sem,  as pessoas ligam reclamam, e nós somos notificados”, explica. Os aplicativos, segundo Lucio, estão ajudando os estabelecimentos. O iFood, único com o qual a TBL trabalha, diminuiu as taxas de 27 pra 20%, e passou a pagar em 7 dias (antes eram 30).
 
Para ele, que só trabalha com entregas desde o início do negócio, este pode ser o ‘novo normal’ do setor. “Com isso de os restaurantes fecharem e trabalharem com o delivery, e este ser um mercado que eles não exploravam, eu acho que após pandemia, depois que normalizar a situação, é um nicho de mercado que vão valorizar mais. E o mercado de delivery tende a crescer”, finaliza.
 
Serviço

Rock Burger
Entregas: WhatsApp - (65) 99980-5252
www.rockburgercuyaba.com.br
iFood / Uber Eats / James Delivery
Promoção dia do hambúrguer: A cada pedido com coca-cola, ganhe um copo de acrílico personalizado (nesta quinta-feira, 28/5)

TBL
Entregas: iFood ou www.menudino.com.br/lojas/thebreadlab
Promoção dia do hambúrguer: A cada pedido de Burger clássico, ganhe uma Budweiser (nesta semana)

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Adolfo Arini
    28 Mai 2020 às 12:49

    Olá tudo bem, Venho sugerir aos proprietários que funcionem no horário do Almoço, pois nesse horário todos estão fechados, deixando seus Clientes ao sabor das fotos dos anúncios até as 17:00 horas quando alguns iniciam as atividades, fica a sugestão Mc, Burger King e Bob todos abrem durante o Almoço os Mestres dos Hambúrgueres Artesanais deveriam também. Almoço aliás melhor horário P ingerir os Maiores e mas caros com número Elevado de calorias . Abraço

Redes Sociais

Sitevip Internet