Olhar Conceito

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Comportamento

Enfrentando câncer de mama pela segunda vez, pedagoga recebe homenagem em shopping; veja vídeos

Da Redação - José Lucas Salvani

01 Out 2020 - 14:13

Foto: Reprodução

Enfrentando câncer de mama pela segunda vez, pedagoga recebe homenagem em shopping; veja vídeos
Enfrentando um câncer de mama pela segunda vez, a pedagoga e estudante de psicologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Danúbia Rondon, recebeu uma homenagem em um shopping de Cuiabá, no último domingo (27). Mãe de João e Sofia, Danúbia foi diagnosticada pela primeira vez com câncer de mama aos 34 anos e enfrenta novamente a doença aos 39.

Leia mais:
Aplicativo cuiabano de delivery cria função para arrecadar doações ao povo pantaneiro

Em um vídeo divulgado no Instagram de Danúbia, é possível conferir como aconteceu a homenagem. Um grupo de músicos chega próximo dela ao som de uma versão de “Viva La Vida”, do Coldplay, com violino e violão. Danúbia se emociona e beija o marido Daniel, com quem é casada há 20 anos e possui dois filhos, de 9 e 14 anos.

“Realmente eu fique surpresa”, diz em um trecho do vídeo. Ela brinca que achou estranho seu marido a chama para ir em um shopping e pedir para ir bem arrumada. “Naquele momento, o amor realmente se materializou. A vibração era de amor, tanto por parte das pessoas conhecidas como as que eu não conhecia. Foi muito gratificante, parece que vivi um sonho”, destaca.
 

Danúbia usa suas redes sociais para demonstrar um pouco de seu dia a dia, visando conscientizar as mulheres quanto ao câncer. A música usada para homenagear Danúbia, inclusive, é a mesma utilizada por ela em um vídeo que raspa sozinha seu cabelo, em uma campanha do Outubro Rosa, mês dedicado a promover a prevenção de câncer de mama.

“Eu demorei um mês para assimilar este segundo diagnóstico, não queria acreditar. Depois, entendi e aceitei, mas decidi não repetir os mesmos erros. Tento levar com mais naturalidade o tratamento e a minha luta é mostrar para mulheres que passam ou passarão por isso que é possível levar uma vida tranquila com mais leveza. Faço terapia, tenho acompanhamento com psiquiatra e nutricionista e faço exercícios físicos. A minha principal mensagem hoje é que nós não somos autossuficientes”, explica.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet