Olhar Conceito

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Literatura

Professora da UFMT aposta em financiamento coletivo para lançar livro sobre vegetarianismo

Da Redação - José Lucas Salvani

05 Out 2020 - 10:36

Foto: Reprodução

Professora da UFMT aposta em financiamento coletivo para lançar livro sobre vegetarianismo
A professora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Juliana Abonizio, está apostando no financiamento coletivo para conseguir lançar o livro “Isso Eu Não Engulo: ações e motivações para abstenção da carne”. A obra, que precisa de R$ 5 mil para sua primeira leva de publicação, tem como base duas pesquisas realizadas por ela na Universidade: “é hora de tirar a ciência da gaveta”.

Leia mais:
Livro de jornalista de MT sobre amor e sexo ganha versão impressa

“A função da ciência é divulgar os resultados produzidos. No entanto, hoje, nós sofremos com a escassez de editais de apoio a publicação. Diante desse quadro, eu decidi fazer uma publicação baseada em duas pesquisas que eu realizei na UFMT e quero publicar o livro que se chama ‘Isso Eu Não Engulo: ações e motivações para abstenção da carne’. Esse livro trata de vegetarianismo e veganismo. Para viabilizar a publicação, eu preciso do apoio de vocês”, declara em vídeo.
 

Podem ser feitas doações em qualquer valor, mas contribuições a partir de R$ 50 rendem recompensas aos doadores. Por R$ 50, o contribuinte receberá o livro em sua casa, sem qualquer custo adicional. Já por R$ 100 são duas cópias autografadas pela autora, enquanto por R$ 300 são três cópias, também assinadas por Abonizio, e a possibilidade de realizar uma palestra online ou presencial com ela. Em ambas últimas opções, o nome do doador será incluso no livro.



“São compras adiantadas do livro que possibilitarão a obtenção de recursos para sua impressão. Trata-se de uma ação coletiva e eu aposto em ideias coletivas. Acho que basta de isolamento, basta de cada pesquisador em um gabinete. Podemos trabalhar juntos, inclusive com a sociedade”, explica a autora.

Doutora e docente do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (PPGECCO) da UFMT, ela destaca que a obra não visa convencer a não consumir carne. “A ideia é compreender as motivações dos que se convertem ao vegetarianismo e os conflitos que passam em seu cotidiano em razão de sua opção de consumo.”

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet