Olhar Conceito

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Artes visuais

Artista plástico leiloa primeira obra feita com cinzas das queimadas para arrecadar fundos ao Pantanal

Da Redação - José Lucas Salvani

16 Out 2020 - 10:07

Foto: Reprodução

Artista plástico leiloa primeira obra feita com cinzas das queimadas para arrecadar fundos ao Pantanal
A primeira obra feita com as cinzas das queimadas no Pantanal Mato-Grossense foi arrematada por R$ 2,5 mil, no leilão "Renasça", do artista plástico cuiabano Adriano Figueiredo, no último dia 8 de outubro. O valor arrecadado será destinado ao Instituto Ação Verde, indicado pelo Coronel Barroso, comandante do Posto de Atendimento Emergencial aos Animais do Pantanal (PAEAS Pantanal).

Leia mais:
Artista plástico cuiabano leiloa obras criadas a partir das cinzas do Pantanal para arrecadar fundos

No total, serão 10 pinturas leiloadas com o objetivo de ajudar no combate aos incêndios que atingem o Pantanal e na recuperação de um dos biomas mais ricos do mundo. Todas as telas são feitas com materiais coletados das queimadas, tornando o trabalho ainda mais forte e com um gigantesco impacto.

Cada obra ficará disponível para lances no Instagram e Facebook durante uma semana até que todas elas sejam vendidas. “Todo o dinheiro arrecadado com as vendas dessa exposição, que ganhou o nome de Renasça, será destinado a cinco instituições que trabalham na linha de frente do combate ao incêndio e recuperação do Pantanal”, explica o artista.



Processo artistico

Figueiredo detalha que a ideia de confeccionar e leiloar tais obras partiu de uma cliente que quis comprar uma de suas obras que havia queimado em protesto. Na época, o artista plástico não conseguia fazer mais representações coloridas e cheias de vida do Pantanal como de costume. Com o passar o tempo, as cores foram mudando para representar melhor a atual situação do bioma devastado pelo fogo.

“Meu trabalho tem como fonte de inspiração o Pantanal. Quando começou a pegar fogo, eu passei a ficar muito mal aqui no ateliê pintando um Pantanal colorido, enquanto os bichos estavam lá pegando fogo. Comecei a fazer intervenções na internet e coloquei fogo em uma obra. Com o tempo, eu não consegui mais fazer meus trabalhos coloridos e passei a fazer obras em preto e branco”, explica ao Olhar Conceito.

O artista plástico fez a pintura das obras no portal da Transpantaneira e em meio ao solo destruído pelo fogo. Figueiredo passou boa parte de sua vida próximo do Pantanal, o que tornou toda sua experiência muito mais significativa. Em alguns momentos, pensou em deixar de lado as obras e se juntar aqueles que estão na linha de frente contra o fogo, mas percebeu que poderia ajudar com o valor arrecadado das obras. Todos os materiais utilizados são de origem das incêndios, como carvão, terra queimada e cinzas.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet