Olhar Conceito

Notícias / Literatura

NEGROS, AVANTE!

Escritora mato-grossense, Graci Miranda publica obra sobre a trajetória de personagens negros que vivem no estado

Da redação - Pedro Coutinho Bertolini

08 Mar 2021 - 15:15

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Escritora mato-grossense, Graci Miranda publica obra sobre a trajetória de personagens negros que vivem no estado
Relatando o cotidiano diário e histórico de cidadãos negros na atualidade em Cuiabá e Mato Grosso, a professora e escritora Graci Ouvires Miranda, publicou o livro ‘Negros, Avante!’, no mes de fevereiro. Com um olhar militante, construiu uma narrativa que aborda a trajetória de personagens pretos que vivem no estado, dando voz, estabelecendo diálogo e escrevendo história do povo que, segundo a autora, foi e é crucial para os desdobramentos sócio-culturais, econômicos e profissionais para a sociedade.

Leia também:
Longa filmado em Cuiabá estreia no renomado Manchester Film Festival

Caminhando entre relatos, visitas em galerias dos poderes, levantamentos em empresas e instituições, hospitais e repartições públicas, Graci percebeu em observações empíricas e técnicas que nesses espaços falta a particular e principal presença negra.

De acordo com sua pesquisa, falta espaço nas galerias dos tribunais, nas cadeiras de assembleias, ou comandando executivos estaduais e municipais, nas diretorias de hospitais. Graci então percebeu que a reparação histórica ainda está em andamento, tendo em vista a injustiça racial e social que perdura por entre os espaços da vida cotidiana deste povo.

A motivação do estudo surgiu diante desta problemática que historicamente relega aos negros a dificuldade de se alcançar o protagonismo nos espaços e ocupar seu lugar de fala.

Todo custeamento do livro foi pago pela autora, com recursos próprios. Para adquirir, Graci recomenda que entrem em contato com ela pois não há valores estipulados, nem programação para o lançamento. A obra foi feita por amor à luta e à memória das vidas negras.

Negros, avante!

Para compor o livro e dar corpo à sua pesquisa, Graci buscou relatos e experiências de doze personalidades. O Doutor Rubens Carlos de Oliveria Júnior, médico negro e atual diretor da Unimed em Cuiabá, foi quem ocupou o primeiro capítulo. Já a vida e trajetória de Helmut Daltro, membro fundador da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) foi relatada e memorada no segundo capítulo.

Abordando os aspectos de caráter e ciência na academia e sociedade, a vida de Evandro Soares, membro da atual gestão da reitoria da UFMT, foi escrita no terceiro capítulo.

“O maior orgulho é ver negro que está no setor público em um dos cargos de maior relevância no Tribunal de Contas do Estado como Conselheiro”, escreveu Graci em referência à vida e carreira profissional do Doutor Moisés Maciel, no quarto capitulo do livro.

“Trajetória de uma Mulher Negra” aborda a vida e carreira da enfermeira Ana Paula Ferreira que, com um olhar crítico e militante sobre a história dos negros no Brasil, disse: “após alguns anos estudando, conquistando bolsas, sempre almejando a Enfermagem, concorri entre milhares de candidatos cotistas, gente preta igual a mim, buscando por meio das ações afirmativas, conquistar tudo que nos foi usurpado nesses séculos de escravidão”.

“Negro representando Ordem e Progresso” conta sobre a vida do Coronel Leovaldo Emanoel Sales da Silva foi crucial para a segurança pública de Cuiabá. Foi Secretário de Ordem Pública e Defesa Civil entre 2017 e 2021. “Competência, dedicação e resultados” são os lemas do coronel que fora retratado por Graci.

A psicóloga Maria Cristina de Almeida, nascida em Poconé, relatou à autora que “tudo é possível quando acreditamos e lutamos. Tenho dez irmãos. Somos 11 descendentes de Afro, italianos e indígenas […] realizei meu sonho: sempre serei estudante. Sinto orgulhosa de ser negra”, contou Maria Cristina, sobre seus sonhos, orgulhos de família e conquistas.

A última personalidade que compõe os relatos do livro é Joaquim Benedito Barbosa Gomes, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). “Sua biografia é semelhante de vários afrodescendentes de origem humilde, galgou uma das funções em um dos cargos mais relevantes do Brasil. Vaidade é ir contra qualquer tipo de preconceito”, escreveu Graci em respeito à figura representativa e simbólica que Joaquim forjou durante a promissora carreira.

Sobre a autora

Graci Ourives de Miranda é graduada em Letras (Português e Literatura de Língua Portuguesa e Inglês e Literatura Inglesa) pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), onde foi servidora e cursou especialização em História Social.

Técnica para Assuntos Culturais: (l998-2005). IFSP-Paulo-SP, Instituto Federal Aposentada pelo Instituto Federal de São Paulo-SP. É autora:  2 artigos científicos-UFMT: “Poaia, ipeca ou ipecacuanha” (1983), Biblioteca-UFMT, (p.54.60) 3 (3):54-60, SET/DEZ/1983.ISSN- 0101-8671- Ano-3, e, “Sustentabilidade Ambiental, Acadêmicos Arregimentando a População para o Reflorestamento.” In: FAET/UFMT, E&S - Engineering and Science ISSN: 2358-5390 DOI:10.18607/ES20165054 Volume 1, Edição 5. (2015). Livros:  Riquezas Lícitas de Mato Grosso (2011), Homens De Mato Grosso (2013), Riquezas Lícitas de MT (2013), Riquezas, Floresta e encantamento (2014), Riquezas Lícitas de Mato Grosso, (2014). Homens de Mato Grosso (2014), Riquezas Florestas e Encantamento (2015), Mulheres de Mato Grosso (2015).

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet