Olhar Conceito

Sexta-feira, 07 de maio de 2021

Notícias / Música

'Bilhete'

Cantora cuiabana celebra a diversidade em videoclipe que exalta o amor entre duas mulheres

Da Redação - José Lucas Salvani

23 Abr 2021 - 14:15

Foto: Willian Kanashiro

Cantora cuiabana celebra a diversidade em videoclipe que exalta o amor entre duas mulheres
A cantora e compositora cuiabana, Paula Shaira, irá celebrar a diversidade no videoclipe da faixa “Bilhete”, exaltando o amor entre duas mulheres. A produção está prevista para estrear no YouTube no dia 5 de maio, enquanto a música estará disponível nas plataformas digitais Deezer e Spotify na próxima semana, 30 de abril.

Leia também:
Dia do Disco de Vinil: cinco lugares em Cuiabá para quem é apaixonado por música

A letra fala sobre o desejo de um reencontro. “De fazer morada em alguém. Do lar que não é um lugar, mas uma pessoa”, descreve. “E para traduzir várias nuances da narrativa, tem um pouco de folk com pegada brazuca. Tem ainda, em caráter experimental, as batidas da máquina de escrever como elemento percussivo. Gostei muito do resultado”.

A produção é do músico Lucas Oliveira, do time da Sumac Records. João Reis ficou responsável pelo violão, enquanto a mixagem foi feita por Luiz Paulo Serafim e William Kanashiro fez a ponte entre Paula e o estúdio. “Importante citar também o músico João Abrantes, que é como um irmão para mim. Durante toda a produção me deu todo suporte necessário e inclusive, participou do clipe”.

“Isso da máquina de escrever foi uma aposta para fundir o auditivo e visual. Montei os sons da máquina em uma bateria eletrônica e João Reis fez o violão. Outro elemento percussivo foi a moringa, um instrumento árabe de percussão que traz um tom mais alegre e orgânico”, explica o produtor Lucas.

O projeto foi concretizado graças ao apoio do Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), em parceria com o Governo Federal via Secretaria Nacional de Cultura, do Ministério do Turismo.

Trajetória

Paula Shaira deu os primeiros passos rumo à música, aos 13, motivada pelo irmão e sua mãe. “Eles foram muito importantes e me incentivaram muito. Mas o despertar veio mesmo quando comecei a tocar o violão de um amigo. Foi então que passei a compor. Aos 15, já tinha 180 músicas”, orgulha-se. No processo de composição, cria primeiro as melodias e então, a letra surge.

Das incursões por estúdios, foi em 2013, também aos 15, que passou a produzir suas músicas no estúdio de Well Ribeiro. Sua carreira solo profissional começava a se delinear, pois logo veio o primeiro EP, com a produção de Thomas Alexander, baterista da Restart.

“Ele se tornou um parceiro musical. À ocasião, gravamos quatro músicas sendo que duas delas, eu passei a tocar bastante nas noites e eventos de música autoral. A ‘Descaso’ e ‘Tô bem assim’”.

Em 2018 passou a morar na casa do amigo Paul Domingos, em São Thomé das Letras (MG) Ao voltar de São Thomé, começou a trabalhar cada vez mais com apresentações em barzinhos, fazendo música ao vivo.

Eis que em meados de 2020, Paul mostrou o trabalho da cantora para o diretor artístico Marcos Maynard, que já atuou como diretor artístico da CBS, presidente da Polygram e da EMI no Brasil e diretor da Abril Music, além de lançar grandes nomes da música brasileira. A partir daí, integrou o casting da Editora Maynard.

“Ele gostou do meu trabalho. Nos conhecemos e novamente, com a produção de Thomas, gravei mais três músicas. Foi um contato bem legal que fiz, pois daí foram gravadas ‘Ioiô’, ‘Sozinha’ e ‘Toda errada’. Depois veio a pandemia e comecei a produzir músicas à distância com Thomas e ainda pela Maynard, produzi músicas como ‘Acredito no Amanhã’ e uma ainda a ser lançada”, adianta. 

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet