Olhar Conceito

Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Notícias | Saúde e Beleza

Vital Kids

Clínica cuiabana traz tecnologia e qualidade de vida às crianças com deficiência em Mato Grosso

Foto: Reprodução

Clínica cuiabana traz tecnologia e qualidade de vida às crianças com deficiência em Mato Grosso
Anualmente, o dia 3 de dezembro é marcado pelo Dia Internacional do Deficiente, utilizado para relembrar a importância de promover uma boa qualidade de vida a essas pessoas. A Clínica Vital Kids Reabilitação Infantil há 10 anos aposta em tecnologias internacionais para promover essa qualidade, como a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (TDCS) e a Plataforma Galileo, que chegaram à capital graças a fisioterapeuta e Especialista em Neurologia Infantil, Camila Albues

Leia também:
Novo bar em Cuiabá aposta em produtos Heineken com música ao vivo todos os dias

O TDCS é um equipamento alemão usado como parte da rotina diária nos maiores centros de terapia. Representa a neurofisiologia intervencionista; com cargas elétricas e densidades administradas durante o protocolo, onde fica muito abaixo do limiar para liberar um estímulo, trazendo efeitos modulares nos elementos neuronais existentes. A corrente continua com impulsos elétricos usado na densidade e frequência correta gera estimulação eficaz na inibição ou ativação da atividade cortical, gerando o movimento ou estímulo necessário para pequenas ações do dia a dia.



Já a plataforma vibratória Galileo, é outra tecnologia desenvolvida na Alemanha, utilizada com resultados consistentes na reabilitação neurológica. O indivíduo ou parte de seu corpo é colocada sobre uma plataforma, na qual são promovidas vibrações em diversas frequências e amplitudes.  A vibração estimula as estruturas neurológicas do corpo. Assim, tanto receptores musculares quanto estruturas medulares e corticais são ativadas. 

O estímulo da vibração é conhecido por induzir ganho de força e potência muscular assim como adaptações cardiorrespiratórias, pondera Camila Albues, que faz Doutorado na Universidade Presbiteriana Mackenzie de  São Paulo em Distúrbios do Desenvolvimento, na busca de evidências científicas no Tratamento das crianças. 

Desta forma, o Dia do Deficiente Físico deve ser comemorado e utilizado para refletir sobre as várias conquistas que foram obtidas ao longo da história, com ênfase para as últimas décadas. “Mas os desafios diários e a realidade nos mostram as dificuldades que precisamos enfrentar por causa da ‘luta pela vida’ dos que necessitam do atendimento”, observou ela.

Num contexto ampliado, a deficiência física pode ser definida como toda a alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo, acarretando o comprometimento da função física, causada por lesões neurológicas, neuromusculares e ortopédicas ou ainda por má formação congênita ou adquirida.

Camila Albues entende que a Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional se tornaram indispensáveis na vida dessas pessoas. “A Reabilitação interdisciplinar; Fisio, Fono e TO promove ao deficiente físico o aprendizado e retorno da função pensando sempre em excelência para uma melhor qualidade de vida”. 



Para ela, não há avanço sem luta ou pesquisa técnica sem tecnologia. “A luta é algo que o deficiente físico enfrenta a cada situação diária, tanto em escola, shoppings, supermercados, pousadas, calcadas, estacionamento pela falta de acessibilidade ao deficiente físico, seja criança ou adulto, além do preconceito e discriminação que os pais enfrentam”.

“Tratamos crianças com alterações neurológicas como paralisia cerebral, AVC, autismo, síndrome de Down, microcefalia buscando intensamente a excelência para o aprendizado da função e uma melhor qualidade de vida para poderem superar esses obstáculos diários da vida”, pontua Camila Albues.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet