Olhar Conceito

Quarta-feira, 18 de maio de 2022

Notícias | Diversão e Lazer

Praça do Chopão

Mestre Albertino é homenageado pela Orquestra de Sopros do Instituto Ciranda nesta quinta-feira

Foto: Reprodução

Mestre Albertino é homenageado pela Orquestra de Sopros do Instituto Ciranda nesta quinta-feira
José Albertino da Silva, o saudoso Mestre Albertino, será homenageado pela Orquestra de Sopros do Instituto Ciranda a partir das 19h na quinta-feira (16), na Praça do Chopão. A programação é parte do projeto “Coreto de Mestre Albertino”, contemplado no edital Mestres da Cultura, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso (Secel-MT) com recursos da Lei Aldir Blanc. A entrada é gratuita.

Leia também:
Seguindo tendência do Estação, Pantanal Shopping inaugura nova área gourmet com Açougue 154 e Seu Majó

O projeto é dividido em três etapas. A primeira foi a elaboração de dez arranjos a partir de obras de Mestre Albertino. A segunda é a realização do concerto para a apresentação deste repertório. E a terceira é a confecção de um kit composto de partitura e partes contendo os dez arranjos, que será distribuído gratuitamente a 24 bandas de Cuiabá e outras cidades mato-grossenses.

“É um marco importante na construção e resgate da obra de Mestre Albertino, uma vez que daremos vazão a parte significativa de sua obra musical, a partir da elaboração de arranjos novos, realização de ensaios, concerto e a confecção de um material muito bem elaborado que ficará à disposição das bandas musicais de Mato Grosso”, ressalta o maestro Murilo Alves, presidente do Instituto Ciranda e idealizador da proposta.

Mestre Albertino

Pai do saxofonista regional João Bolinha, Mestre Albertino nasceu em Cuiabá no dia 07 de agosto de 1906. Demonstrou talento para a música ainda criança e já adolescente ingressou na Força Pública do Estado de Mato Grosso (atual Polícia Militar) onde teve a oportunidade de estudar com o maestro Francisco Ferreira Mendes.

Mestre Albertino aprendeu a tocar bombardino e trombone, se tornando 2º sargento da Força Pública do Estado. Em 1932, ingressou no 16º Batalhão de Caçadores, onde se reformou como Subtenente no final dos anos 50. 

Após a reforma, Mestre Albertino seguiu ensinando música em diversas realidades, inclusive formando bandas e fanfarras como as da Escola Agrícola de São Vicente, Colégio Estadual, Escola Industrial de Mato Grosso e Liceu Salesiano, formando diversos jovens músicos, incluindo futuros profissionais, como Juca de Mestre, Dito Twist, Coronel Lobo, Taurí, Alcione, dentre outros.

Mestre Albertino deixou um vasto repertório composto de valsas, choros, sambas, polcas e o tradicional rasqueado cuiabano. “Desejamos que sua música volte a soar e ocupe seu lugar de direito no universo sonoro mato-grossense”, conclui o maestro Murilo. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet