Olhar Conceito

Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Notícias | Comportamento

Muriel Loors

Miss Mato Grosso Gay busca por patrocínio para trazer título nacional para o estado em 2022

Foto: Reprodução

Miss Mato Grosso Gay busca por patrocínio para trazer título nacional para o estado em 2022
Apaixonado por moda e concursos de beleza, Muryllo Lorensoni decidiu tornar sua paixão objeto de estudo de doutorado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), por meio do Miss Mato Grosso Gay, em 2017. Vencedora da edição de 2021, Muriel Loors foi sua principal aliada neste processo e provou um novo olhar sobre esses concursos em Muryllo, seu criador.

Leia também:
2022 será um ano difícil, embora tenha alguns alívios, revela astróloga

Formado em Publicidade de Propaganda, Muryllo sempre teve um certo flerte com o mundo da moda e concursos de beleza — desde os 12 anos, segundo o próprio. Sua inserção nos concursos começou quando ainda morava no interior do Paraná, e quando mudou-se para Cuiabá, devido a pós-graduação do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (ECCO) da UFMT, tudo mudou.



A primeira pesquisa foi sobre moda folk e ao decorrer do curso desenvolveu habilidades de fotógrafo de moda, sempre com foco em concursos de beleza. Em 2017, quando foi aprovado no doutorado, buscou um estudo que envolvesse gêneros e concursos, e optou pelo Miss Mato Grosso Gay.

“Entendo que os concursos de beleza são um produto da cultura urbana, presentes em nosso cotidiano e imaginário. Ontem mesmo aconteceu o Miss Universo. Isso mostra a força e potência de um concurso, embora muitos subjuguem. E essas competições se atualizam com o tempo”, explica Muryllo em entrevista ao Olhar Conceito.



Não demorou muito para que o publicitário percebesse que teria um melhor resultado caso passasse por uma experiência que o fizesse entender profundamente o Miss Mato Grosso Gay. Inicialmente, não pensou em se tornar transformista, mas com o passar do tempo, aliado ao apelo dos professores, viu que este era o caminho a ser seguido, apesar de uma certa resistência. 

Quatro dias antes do concurso, surgiu a criação de Muryllo, Muriel Loors. Ela não ganhou, mas chamou atenção de coordenadores do Miss Brasil que enxergaram bastante potencial nela. Muryllo também se sentiu motivado a levar Muriel para outros concursos, mas atrelado ao desejo de fortalecer ainda mais sua tese na UFMT.



Determinado a trazer um novo olhar para o concurso e, principalmente, vencer, Muryllo levou Muriel novamente para o Miss Mato Grosso Gay 2021. Dessa vez, o resultado foi diferente e Muriel se tornou Miss, futura representante do estado na competição nacional, o Miss Brasil Gay 2022, previsto para ser realizado em agosto do próximo ano.

“O Miss Brasil Gay acontece há 48 anos e nasceu em plena Ditadura Militar. É um ato de resistência e militância. Reúne pessoas de todo o Brasil durante esse período. Movimenta mais de R$ 3 milhões em dois dias de evento. Então, é uma cerimônia muito potente em todas as esferas, tanto política como capital, todos os recursos que movimenta”.



A vitória na edição estadual fez com que o sentimento “acadêmico” espairecesse. Muryllo quer dar o título nacional para Muriel, principalmente ao perceber o quão longe ela pode chegar. Recentemente, por exemplo, Muriel recebeu uma moção de aplausos da Assembléia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). “Isso para mim não passava pela minha cabeça”.

“A primeira vez que participei, em 2017, via as meninas tendo aquilo como um grande sonho delas. Aquilo é o objetivo maior de vida de muitas delas. Naquele momento, causou um certo estranhamento porque para mim não fazia sentido. Inicialmente, era só um objeto de estudo que não tinha uma relação afetiva e amorosa com aquela forma de expressão. Mas com o passar do tempo, com o decorrer do concurso, eu comecei a ter uma relação. A Muriel é quase uma prioridade para mim hoje”.



Muryllo entendeu que conquistar o título estadual para Muriel e, futuramente, o nacional “é muito maior do que parece. Abre espaço para diálogos e discussões em tantos outros campos. Me coloca em uma posição de destaque dentro da comunidade LGBTQIA+ que para mim é muito interessante porque penso que posso utilizar de forma bastante produtiva e militante”.

Busca de patrocínio

Para conseguir participar do Miss Brasil Gay 2022, Muryllo tem alguns desafios para enfrentar pela frente, como alguns procedimentos estéticos que julga necessários e ajuda financeira. Alguns participantes acabam gastando mais de R$ 200 mil, mas Muryllo planeja um teto por volta de R$ 70 mil. Os dois looks — um de gala e outro típico — para a cerimônia são o que gera mais gastos.



“Os vestidos são muito caros. São apenas dois vestidos que vou usar lá — um traje que vai homenagear Mato Grosso, o típico, e o outro traje que é de gala. É um custo inimaginável. Já ouvi histórias de misses que usaram R$ 150 mil e R$ 200 mil para participar do concurso. Imagino que o investimento total no meu caso vai chegar em torno de R$ 70 mil, para eu representar bem meu estado”.

Os interessados em patrocinar a participação de Muriel e Muryllo podem entrar em contato com o publicitário por meio do número (67) 992192179.

Transformista



O transformista não assume uma identidade de gênero, como transexuais e travestis, explica Muryllo. “O transformismo não é um gênero. É uma forma de expressão artística que tem um tempo ou período determinado, pautado pela performance. O Muryllo não é Muriel. Muryllo é Muriel em uma performance artística. É o ir e vir”, explica ao Olhar Conceito

“O drag queen é uma forma de transformismo. Não é errado dizer que drag queen também é transformista. Na verdade, a drag queen é um pouco mais exagerada e tem uma função mais cômica. Geralmente, são artistas voltadas para o entretenimento. O transformismo é uma busca mais fiel do ‘feminino’, sem exageros [como drag queens], com passabilidade”.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet