Olhar Conceito

Sábado, 02 de julho de 2022

Notícias | Astrologia

Astrologia

2022 será um ano difícil, embora tenha alguns alívios, revela astróloga

Foto: Luana Batista

2022 será um ano difícil, embora tenha alguns alívios, revela astróloga
O ano de 2021 chegou ao fim. Marcado pela vacina contra a covid-19 e retomada das atividades presenciais em inúmeros setores, houve ainda inúmeros momentos difíceis para a população, como a fila de ossos na capital mato-grossense, que ganhou repercussão nacional. Em 2022, o cenário ainda será complicado e difícil, embora tenha alguns alívios, como melhorias na saúde pública e “talvez a cura da pandemia”, avalia a astróloga Maria Eunice.

Leia também:
Terapeuta holística dá dicas de como atrair um ano melhor: banhos, simpatias e limpeza da casa

O ano começa com o planeta Vênus retrógrado. “A retrogradação representa a necessidade da gente revisar assuntos comandados por aquele planeta”, portanto é necessário reavaliar relacionamentos amorosos, trabalho e imagem profissional.

“É vital diferenciarmos entre o que é essencial e o que é dispensável, porque precisaremos ter isso muito claro num ano de séria crise financeira”, explica. “É possível que essa crise fique ainda mais escancarada, no sentido de vermos mais dessas situações terríveis, como fila dos ossos e pessoas passando fome”, conta em entrevista ao Olhar Conceito.

Apesar de ser um ano “bastante difícil”, haverá “alguns alívios”. É esperado, por exemplo, melhorias em vários sentidos graças ao trânsito do planeta Júpiter pelo signo de peixes. Júpiter, o grande benéfico, é associado com a expansão, crescimento e melhorias em vários sentidos, como saúde pública.

“Quando ele [Júpiter] entra no signo de peixes, que é uma das suas causas astrológicas, uma das coisas positivas é que nós podemos esperar melhorias nas questões de saúde pública. Podemos esperar em relação talvez a ‘cura’ da pandemia, especialmente porque esse planeta Júpiter vai estar junto de Netuno”, pontua.

Enquanto Júpiter é o regente clássico e associado a espiritualidade e leis, Netuno é o regente moderno de peixes, ligado aos químicos e às drogas em geral. Além de melhoria na saúde pública, como o surgimento de novas drogas, a união destes planetas gera “um aumento expressivo na expressão de solidariedade, especialmente internacional. É empatia, as pessoas se enxergando mais umas as outras”.

Apesar da união trazer frutos positivos, há reflexos negativos. Pode gerar aumento no escapismo e uso de drogas ilícitas. Escândalos sobre fraudes, personalidades ou associados a religiões, além do surgimento de gurus e “salvadores” da pátria.

Indo para o cenário político, a astrologia aponta para a continuidade da polarização dos extremismos, em especial no segundo semestre, “bastante incendiário”. Aliás, entre julho e agosto, há “um cenário de polarização extrema de muitos embates ideológicos que podem resultar inclusive em violência. Embates nas ruas é possível. Não é uma previsão, mas estou apontando uma perspectiva de que é possível que tenhamos um ano de muitas ocupações nas ruas, que não são exatamente pacíficas”.

Em setembro e outubro, o cenário será incerteza e “fake news mais ativas do que nunca”. Em específico ao mês das eleições, será um período bastante caótico, que “requer muita atenção por parte do eleitor como por parte dos mecanismos de controles, e de fiscalização para garantir que essas eleições ocorram de uma maneira realmente adequada para a democracia no país”.

Por fim, Netuno também é o Deus dos Oceanos e, unido com Júpiter, mundialmente, é esperado um possível aumento em inundações, enchentes, deslizamentos e catástrofes influenciadas pela água.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet