Olhar Conceito

Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Notícias | Música

Líder indígena de MT

Cacique Raoni é homenageado em samba de enredo da Gaviões da Fiel; ouça

Foto: Marcelo Camargo - Agência Brasil

Cacique Raoni é homenageado em samba de enredo da Gaviões da Fiel; ouça
Mesmo com a onda de covid-19 e o cancelamento do carnaval de rua em São Paulo, o desfile das escolas de samba ainda está de pé, previsto para ser realizado nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro. A Gaviões da Fiel, uma das principais escolas do município, desfila em 2022 com um samba de enredo que cita Cacique Raoni, indígena de Mato Grosso considerado uma das principais lideranças do Brasil.

Leia também:
"BBB" contou apenas com dois moradores de Mato Grosso ao longo de 21 edições

O Raoni é citado em “Basta!”, música que por meio de seus versos faz homenagem às minorias que diariamente são oprimidas por uma “pátria mãe hostil”. Para a colunista Milly Lacombe, do Uol, o samba enredo da Gaviões desse ano é político, revolucionário e poético. Ouça abaixo.
 

O samba de enredo é o mesmo previsto para 2021, mas como a pandemia do novo coronavírus não deu fôlego a população, a canção ficou para este ano. Mesmo com o cancelamento do carnaval de rua e a suspensão do ensaio técnico no próximo final de semana, a expectativa é que a Gaviões desfile em 2022 junto das demais escolas no Sambódromo do Anhembi.

Raoni

Líder indígena Mebêngôkre (Kayapó) nascido em Kapôt no Estado de Mato Grosso, no início dos anos 1930, o cacique Raoni é mundialmente conhecido por reivindicar os direitos indígenas e por sua intensa mobilização contrária à construção da usina hidrelétrica de Belo Monte e do Complexo Hidrelétrico do Xingu, que teve sua construção paralisada por mais de 20 anos com a exigência de revisão dos projetos de desenvolvimento para a região do Xingu e com o lançamento da Declaração Indígena de Altamira.

O cacique também teve uma atuação bastante significativa durante o processo da Assembleia Constituinte de 1988, que garantiu direitos fundamentais para os povos indígenas com respeito à demarcação de terras. Foi neste período também que o cacique ganhou notoriedade mundial após realizar uma turnê com o cantor britânico Sting. 

Com o apoio internacional, Raoni criou as organizações não governamentais Rainforest Foundation e a Fundação Mata Virgem para proteger as florestas e os Mebêngôkre. Além desta parceria, Raoni conquistou importantes apoiadores à causa como o então presidente francês François Mitterrand, o ex-primeiro-ministro francês Jacques Chrirac, o rei Juan Carlos da Espanha, o príncipe Charles da Inglaterra e o Papa João Paulo II.

A projeção mundial do cacique Raoni se dá também, além da luta incessante pela vida indígena e pela floresta, por ser um líder imponente, determinado, astuto, interessado em política, carismático, estrategista e apaziguador. Raoni é reconhecido rapidamente pela sua marca registrada o botoque, adorno que carrega no lábio inferior, representando seu compromisso com a terra na qual nasceu.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet