Olhar Conceito

Terça-feira, 28 de junho de 2022

Notícias | Moda

produz 350 vestidos por mês

Cuiabana que começou com R$ 800 faz sucesso com marca de moda cristã ‘moderna e jovial’

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Cuiabana que começou com R$ 800 faz sucesso com marca de moda cristã ‘moderna e jovial’
Quem passa pela Avenida General Ramiro de Noronha, no bairro Jardim Cuiabá, e vê a loja ‘Kamylla Urel’, nem imagina que a proprietária iniciou seu sonho de vender moda cristã ‘moderna e jovial’ com apenas R$ 800, dinheiro que conquistou em seu estágio de direito e vendendo bolos de pote. Hoje, a empreendedora que emprestou seu nome à marca chega a produzir 350 vestidos por mês. Todos são imaginados por ela própria, e confeccionados por uma costureira que lhe acompanha há cinco anos – desde os primeiros sete vestidos que ela criou e vendeu em 40 minutos pelo Facebook.

Leia também:
Bazar beneficente ajuda bebê com doença rara que precisa do remédio mais caro do mundo

Kamylla tinha 19 anos quando decidiu investir em seu sonho. Ela já confeccionava vestidos para usar nas ‘reuniões da mocidade’ da Congregação Cristã do Brasil, e chamou atenção das colegas da igreja. O sucesso foi tanto, que ela chegou a fazer duas peças a pedido de algumas amigas, o que alimentou a vontade de transformar o hobby em negócio.

A cuiabana, no entanto, acreditava que para empreender precisava de no mínimo R$ 20 mil e uma coleção de cem peças. Foi um amigo de seu pai que a incentivou a iniciar o trabalho com menos. “Ele falou: ‘Kamylla, quando você vai construir uma casa, você não começa pelo telhado. Você começa pela base. Você vai construindo devagarzinho. Você não tem cliente, não tem nada, ninguém sabe que você vende... começa aos poucos, faz só dez peças'. E assim eu fiz. Fiz sete peças. Meu pai me levou num lugar bonito, ele tirou fotos no celular, eu mesma editei e postei no Facebook. Em quarenta minutos, vendi todas”, lembra.

E foi assim, com um investimento de cerca de R$ 800, que o sonho começou. Depois disso, Kamylla ficou um ano e cinco meses vendendo apenas pela internet, até abrir uma loja no shopping de Várzea Grande, onde se instalou por dois anos e vendia tanto produtos próprios quanto de outras marcas - o que não se mostrou muito eficaz. 

“As pessoas não queriam outras marcas. As pessoas queriam a minha marca. Elas não queriam saber se o outro vestido da outra marca era mais bonito, se era mais barato, o prazer delas era comprar um Kamylla Urel”, lembra. Segundo a empreendedora, ela conseguiu criar um vínculo com suas clientes por meio do Instagram e, por isso, ter um vestido de sua confecção passou a ser um sonho delas.

A loja no shopping, então, ficou pequena. Há um ano, Kamylla abriu outra , desta vez no Jardim Cuiabá. Hoje, além das roupas (vestidos, saias e blusas), vende também “biquinis” em versões mais comportadas; sapatos, véus e, recentemente, iniciou uma confecção de roupas infantis, inspiradas em sua filha, a ‘Amélinha Kids’. Todos os produtos seguem sendo exclusivos e até os tecidos são criados pela empresária e confeccionados especialmente para ela por uma loja de Goiânia.

'Biquinis' para evangélicas: criação de Kamylla (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto)

O segredo do sucesso, para Kamylla, foi apostar em um nicho que não tinha muitas opções e apresentar modelos mais modernos e joviais. “Eu acho que é por isso que deu tão certo: porque a gente está quebrando esse tabu”, afirmou. “Há cinco anos, era muita coisa brega. [Se tinha a ideia de] que crente só usa saia jeans, que é aquele vestido com pedraria, aquele vestido ‘foló’, que não modela o corpo. E aí eu trouxe um tecido melhor, que modelo o corpo perfeitamente, e eu acho que por isso que deu tão certo, porque eu modernizei a moda evangélica. Ela estava muito na mão de pessoas que já estavam acostumadas, pessoas mais velhas, e eu trouxe um olhar mais jovial”.

Apesar disso, há algumas ‘regras’ para as peças, que seguem os preceitos da religião. Dentre elas: o decote é tampado, as roupas são quase todas de manga, o comprimento é no máximo um pouco acima do joelho e não há modelos com costas nuas.

Com a modernização das opções, Kamylla conquistou também pessoas que não são cristãs, e garante que até aquelas que têm receio de usar suas roupas podem ser convencidas: “Meu plano é conquistar um novo tipo de público, conquistar um grupo não evangélico, porque os meus vestidos dá para pessoas que não são evangélicas usarem. Elas só têm que colocar no corpo. Porque eu tenho certeza que quando elas colocarem, não vão nem lembrar que é moda evangélica, só vão dizer que a peça é linda e o vestido veste super bem”, garantiu.


Serviço

Kamylla Urel
Endereço: Av. General Ramiro de Noronha, n. 250, jardim Cuiabá. Em frente à Smart Fit.
Funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 8h às 18h; Sábados das 8h às 12h
Vendas também pelo Instagram AQUI.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet