Olhar Conceito

Domingo, 21 de julho de 2024

Notícias | Gastronomia

da cuca ao bolo de arroz

Casal abre café colonial com toque cuiabano em chácara centenária no São Gonçalo Beira Rio

Foto: Olhar Direto

Casal abre café colonial com toque cuiabano em chácara centenária no São Gonçalo Beira Rio
Os cômodos da casa centenária que fica em uma das chácaras da comunidade São Gonçalo Beira Rio, em Cuiabá, foram transformados com as mesas cheias de quitutes do café da manhã colonial servido pelo casal Ricardo Antônio Bordin e Mayara Calderan Bordin aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 11h30, no Café Realeza. O buffet no esquema “sirva-se à vontade” é apenas um dos diferenciais do espaço que proporciona uma reconexão com a natureza dentro da cidade. 


Leia também
Comemos formigas na Amazônia, uma mujica ‘diferente’ e a ficha caiu: a culinária cuiabana é indígena


Mesas grandes embaixo das árvores se tornaram o local preferido dos grupos que frequentam o café colonial. Clientes adotaram o lugar como ponto de encontro para comemorações e revelações de amigo secreto, conta Mayara. O Café Realeza também tem redário, playground para as crianças e é pet friendly. 

A possibilidade de estar perto da natureza foi um dos pontos que fez o casal investir em montar o espaço. Ricardo lembra que quando visitou a chácara pela primeira vez, se encantou com o filho correndo pelo local, colhendo frutas e brincando com as galinhas. 

“Vi ele correndo, pegando frutinhas, brincando, pensei que era essa experiência que queria que ele tivesse. Ficamos na cidade, presos no apartamento. Como é quente, costumamos frequentar o shopping, que tem distração para eles. Falta isso da natureza, que é algo que gostamos. Ficamos encantados pelo local. A casa tem uma estrutura bonita”, conta o empresário. 

A ideia de montar o Café Realeza em uma das chácaras da comunidade São Gonçalo Beira Rio surgiu por acaso, quando o casal passou em frente ao espaço e Ricardo decidiu ligar para marcar uma visita. Na época, ele e Mayara estavam prestes a decidir se voltariam a morar em Rondônia. 

Ricardo e Mayara contaram que tinham costume de frequentar cafés coloniais. (Foto: Olhar Direto)

“Decidimos ficar e tentar empreender. Abrimos em 26 de fevereiro, vamos fazer oito meses. Era algo que a gente não esperava, a gente contava, mas não esperava que seria assim tão rápido. Temos muita vontade de fazer cada vez melhor, sempre falamos para os clientes que todo final de semana é um aprendizado”, lembra Mayara.

Os dois costumavam frequentar as peixarias que são tradicionais na região, mas buscavam por locais que servissem o café da manhã colonial, como costumavam frequentar em cidades de São Paulo, Rondônia e do Sul no Brasil. Na busca por um espaço, eles brincam que acabaram abrindo o próprio. 

“Quando a gente vinha para Cuiabá, procurávamos por um local semelhante, mas não tinha. Sempre gostei muito da refeição do café da manhã. Costumávamos ir com nosso cachorro quando não tínhamos filhos, depois começamos a buscar por um lugar como esse para levá-los. A oportunidade foi inesperada”, conta Mayara. 

Café colonial com sabores cuiabanos 

Quando abriram, os pratos do buffet do Café Realeza tinham como inspiração os cafés coloniais tradicionais do Sul. Aos poucos, o casal começou a perceber a necessidade de adaptar o cardápio com sabores cuiabanos. Ricardo brinca que eles não podem deixar faltar bolo de arroz e de queijo, por exemplo. 

“Os clientes ficam até bravos se não tiver”, ri o empresário. 

“Isso também foi um aprendizado, porque na nossa inauguração tentamos fazer um café colonial bem no estilo do Sul, mas não pegou tanto, então começamos a adaptar, colocar coisas da culinária cuiabana. Milho cozinho, por exemplo, sai muito, farofa de cuscuz, algo que trouxemos de referência de Rondônia”, completa Mayara. 

Ricardo conta que o Café Realeza já tem “clientes de carteirinha”, que frequentam o espaço todo final de semana. Por isso, o casal pensou em variar o cardápio com mais de 70 itens para que sempre tenha uma surpresa no buffet. 

Café Realeza foi montado em uma chácara na comunidade São Gonçalo Beira Rio. (Foto: Olhar Direto)

“Não temos um cardápio fixo, temos o básico do café da manhã, que você vai encontrar em qualquer hotel ou padaria, mas tem os diferenciais, que o cliente que vem toda semana não vai encontrar sempre a mesma coisa", explica o empresário. 

Já Mayara ressalta a variedade da sessão de frios, pães, geleias e acompanhamentos, inspirada nos cafés coloniais que frequentavam juntos. “É bem diferente do que você encontra. Às vezes comparam com café de hotel, mas é muito diferente, é um café colonial mesmo”. 

Mesmo sendo uma comunidade histórica e tradicional de Mato Grosso, Ricardo conta que muitos amigos e conhecidos nunca foram às peixarias de São Gonçalo Beira Rio. Por isso, ele acredita que o Café Realeza também tem potencial para levar novos turistas para a região. 

“Embora aqui seja um local muito bonito e turístico, com muita variedade de peixes, metade das pessoas que a gente conversa não conhece e mesmo assim é lotado de sexta a domingo, ao meio-dia você não consegue passar de carro. Conseguimos trazer um público novo para eles também, isso é legal”. 

A próxima novidade do buffet será uma chapa para preparo de ovos, bacon e pão com manteiga na hora, conta Mayara. Médica de formação, ela afirma que se apaixonou pelo novo negócio. 

“Para mim é totalmente novo, uma super novidade, nunca imaginei que trabalharia com isso, nunca tinha sido um propósito para mim. A ideia não é vir aqui tomar café e ir embora, é para curtir o espaço, balançar na rede, levar as crianças para brincar”.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet