Olhar Conceito

Quinta-feira, 20 de junho de 2024

Notícias | Comportamento

começou após demissão

Petisco, cerveja e camisinha: motorista de Cuiabá faz sucesso com ‘loja de conveniência’ no carro

Foto: Olhar Direto

Petisco, cerveja e camisinha: motorista de Cuiabá faz sucesso com ‘loja de conveniência’ no carro
Pai de duas crianças, uma delas diagnosticada com Transtorno do Espectro Autista (TEA), André Siqueira, de 39 anos, viu no trabalho como motorista de aplicativo, em Cuiabá, a possibilidade de continuar sustentando a família e de conseguir acompanhar mais de perto o tratamento da filha. Para complementar a renda, ele decidiu instalar uma mini loja de conveniência dentro do carro, com chiclete, perfume, petiscos, água e refrigerante. 


Leia também
​Projeto do WWF Brasil promove oficinas para coexistência de onças-pintadas no Pantanal de MT


Durante a noite, quando começa a buscar os passageiros em baladas e bares da cidade, ele também vende cerveja, cigarro e camisinha. André foi demitido do emprego de corretor de seguros em 2021, durante a pandemia da covid-19. Depois, até chegou a conseguir um novo trabalho na mesma área, mas o salário não estava sendo suficiente. Foi quando ele aceitou o conselho de um conhecido sobre o trabalho de motorista de aplicativo. 

“Nunca tinha feito [trabalho como motorista de aplicativo], foi mais pela necessidade mesmo. Me ajudou porque concilia com minha rotina, com minha filha, que é autista, quando trabalhava com CLT era um pouco difícil pedir para sair, algo que eu entendo, mas no Uber é mais flexível, consigo levá-la nas terapias. Então, encaixou”. 

André trabalha das 15h às 23h, todos os dias, com exceção do sábado, dia de melhor movimento, quando ele começa a aceitar corridas logo pela manhã. “Como o trabalho não paga tão bem, você tem que trabalhar muito e escolher umas corridas boas. Comecei a pesquisar na internet e encontrei um colega de São Paulo que fez uma lojinha, vi no YouTube e adaptei no meu carro aqui em Cuiabá. Começou a dar certo e girou um dinheirinho”. 

Como a primeira ideia de vender os produtos no carro deu certo, André começou a pesquisar mais e encontrou Mateus Alencar, de Goiânia (GO), que vende a estrutura de acrílico para que os motoristas transformem o carro em uma pequena loja de conveniências.

Há um mês, ele roda por Cuiabá com o novo display de acrílico. “Ele faz uma estrutura e vende para todo o Brasil, com LED, compacta, própria para o carro. Os motoristas de Cuiabá aqui ainda não fazem, não sei se é pela questão do investimento, porque tem que tirar do próprio bolso”. 

Quando os passageiros entram no carro, a reação sempre é de surpresa, conta André. Por isso, ele deu o nome de “Agora Quando” para seu perfil profissional no Instagram. Além dos produtos que vende na loja de convivência sobre rodas, o motorista também começou a pesquisar sobre técnicas para se destacar na profissão em que atua desde fevereiro deste ano. 

“Sempre trabalhei com atendimento, comecei a seguir quais são os melhores motoristas do mundo. O melhor do mundo é um indiano que trabalha em Nova Iorque, peguei para mim o que ele fala sobre respeito e limpeza, ele diz que nosso carro é a extensão do nosso trabalho. Além do respeito por toda pluralidade, são muitas pessoas diferentes, com visões de mundo, acho legal ter tolerância e respeito, principalmente. Quando o passageiro não quer conversar, fico na minha. Nos meus dias ruins, tento manter o profissionalismo”. 

Para o futuro, o motorista sonha em adquirir um mini refrigerador para manter as bebidas geladas dentro do carro, já que hoje ele precisa gastar diariamente com gelo. André tem como meta começar a trabalhar como motorista executivo e, aos poucos, conseguir deixar o trabalho como motorista de aplicativo. 

“Minha ideia é pegar um passageiro no Malai Manso e lavar em Chapada, por exemplo. Além de prestação de serviços para empresas, porque é um valor fixo por mês. Com o tempo quero diminuir o Uber e aumentar meu networking para, ter mais clientes particulares e de transporte executivo. Já tenho alguns clientes particulares, por exemplo pego no trabalho para levar na academia, tem uma que é cadeirante. Minha ideia é juntar dinheiro para comprar um carro melhor”.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet