Olhar Conceito

Quinta-feira, 03 de dezembro de 2020

Notícias / Perfil

Nelson Mandela se foi: ainda há esperança para a humanidade? Cabe na morte o silêncio e a reflexão

Da Redação - Marianna Marimon

06 Dez 2013 - 08:39

Foto: Reprodução

Nelson Mandela

Nelson Mandela

Um líder. Negro com todas as letras. O denominam rebelde por ter liderado o fim do apartheid (segregação racial) na África do Sul. O primeiro presidente negro eleito daquele país. No coração do continente, Mandela não apenas foi o maior lutador pela igualdade racial, sua luta foi muito além. A luta de Mandela resultou em uma consciência coletiva que até então, estava esquecida (ou não existia?).

Somos todos iguais. Brancos, negros, pardos e amarelos. Pobres e ricos. Deficientes e ‘normais’. Somos todos um só. Era essa a maior luta de Mandela, que as pessoas deixassem de enxergar com olhos impregnados de pré-conceitos, e começassem a enxergar com o coração, com o amor que pudesse fluir da alma humana.

A luta de Mandela durou enquanto houve ar em seus pulmões. Aos 95 anos de idade, Mandela se foi. Agora, o dia 5 de dezembro será sempre lembrado como o dia de sua morte. O dia da morte da maior luta travada contra toda a falta de humanidade existente na humanidade.

Foram 27 anos, enclausurado por lutar pelo que acreditava. Por lutar para viver. A luta de Mandela era pela própria vida. Não poderia deixar que toda a dor e a miséria passassem incólumes. Não poderia deixar. Não poderia fechar os olhos para tanta desigualdade.

Mais do que um lutador, era um sonhador. Porque só um sonhador pode lutar com a garra e o afinco de Mandela. Seus sonhos? Apenas por igualdade. Parece ser tão simples, mas envolve questões tão complexas e arraigadas que por elas, Mandela passou quase ¼ de sua vida em uma prisão, privado de todos os seus direitos, de sua liberdade, mas nunca de seus sonhos.

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar”, um dos belos ensinamentos do maior líder negro da história da humanidade.

E Mandela foi além de sua luta, e nos ensinou como é amar, como é acreditar e lutar pelos seus sonhos. Mandela nos ensinou o perdão, a compaixão. Mandela nos ensinou a querer e saber que é possível. Mandela não nos deixa desistir.

Até depois de sua morte, Mandela continua a nos ensinar, que para ser eterno é preciso ser grande, e para isso é preciso saber amar e perdoar, deixar o coração se encher de alegria por apenas respirar.

Mandela, você se foi, e agora, eu pergunto: ainda há esperança para a humanidade?

Cabe na morte o silêncio e a reflexão.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet