Olhar Conceito

Quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Notícias / Artes Cênicas

Com 25 anos de estrada, Amauri Tangará retorna com espetáculo "Cafundó" no SESC Arsenal

Da Redação - Marianna Marimon

27 Jan 2014 - 11:55

Foto: Reprodução

Com 25 anos de estrada, Amauri Tangará retorna com espetáculo
Após 25 anos na estrada, eis que Amauri Tangará retorna ao Mato Grosso para apresentar a peça “Cafundó – Onde o vento faz a curva”, nos dias 7, 8 e 9 de fevereiro no SESC Arsenal às 20h. Já foram mais de 1.200 apresentações por vários continentes, circularam o Brasil e migraram para Europa, África, e a América. Para presentear o público também foram convidados artistas especiais como Nico e Lau, Vera Capilé e Luis Carlos Ribeiro.

Leia também: Encontro Nacional de Filosofia começa na UFMT com mesas, debate, minicursos e muitas opções culturais

O espetáculo é dirigido pelo próprio Amauri que também protagoniza e define “Cafundó” como poético, alegre, vibrante e inesquecível. A primeira apresentação foi feita em 1989, ao estrear na Casa de Cultura de Cáceres (MT), com casa lotada. E foi a partir daí, que Cafundó e Amauri Tangará migraram pelo Brasil e depois alçaram vôos maiores para além do oceano.

Em seu blog, o artista conta que após a estréia em Cáceres foram para Colíder na zona rural, na comunidade de São Jorge. “No meio da salva, possuía um teatro de pau-a-pique. Pessoas a pé, de carroça, de bicicletas, à cavalo, pareciam brotar do meio das matas. Mais de 300 pessoas. Feito à luz de lampiões de querosene, “Cafundó” recebeu naquela noite, seu batismo definitivo”, conta.

Depois o espetáculo passou por Nova Canaã, Alta Floresta, Itaúba, Sinop, Sorriso, Rosário Oeste, Santo Antônio do Leverger, Jaciara, e aí Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, e nos anos seguintes, Nordeste, para depois partir para a América Latina, Europa e África. Foram mais de 1.200 apresentações em aproximadamente 300 cidades de três continentes.

Nestas idas e vindas, Amauri Tangará firmou parceria com o grupo de teatro de Portugal, “O Bando” e produziram diversas peças como “O Salário dos Poetas” (2006/07) baseada no livro de mesmo nome do escritor mato-grossense, Ricardo Guilherme Dicke. Além do teatro, Amauri também continuou com o cinema, produção de filmes, oficinas e documentários.

Mas, por enquanto, vamos nos ater ao que está por vir “Cafundó”: uma comédia invulgar que remonta a vários cantos do mundo para contar as mais estranhas histórias, lendas, rituais, festanças religiosas, apresentados numa verdadeira “roda de prosa”. Num ambiente de magia ”o público português teve uma reação similar ao público brasileiro, fazendo-me sentir em casa”, ressalta Amauri Tangará.

Os mitos, as lendas e as tradições do Pantanal são os ingredientes do espetáculo “Cafundó – Onde o Vento faz a Curva”, um divertido solo no qual o “contador de causos” Amauri Tangará passa em revista o fantástico imaginário cultural do interior do Brasil.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet