Olhar Conceito

Sábado, 05 de dezembro de 2020

Notícias / Artes Cênicas

Emaranhado de rostos no corpo de artistas despertam curiosidade em "Objeto Gritante"

Raquel Mützenberg - Especial para o Olhar Conceito*

15 Mai 2013 - 11:21

Foto: Divulgação

Emaranhado de rostos no corpo de artistas despertam curiosidade em
O espetáculo "Objeto Gritante" encenado no Palco Giratório na terça-feira (14), mostrou à plateia alguns traços do ofício do artista das artes cênicas, sobretudo no que toca a relação com seu corpo e a utilização das máscaras sociais, afinal, com este trabalho a Cia. Siameses do coreógrafo Maurício de Oliveira mergulha em um diálogo sobre as razões as quais os artistas insistem em defender o valor de estarem despindo-se cotidianamente diante de outros indivíduos, em busca de uma razão primordial de existência.

Ao entrar no teatro a expectativa cresce imediatamente. A estética é muito interessante, visualmente leve, agradável e curiosa. Com movimentos que expõem flexibilidade e agilidade, a dançarina Natalia Fernandes interage com os elásticos transparentes distribuídos pelo palco. Para quem está na plateia, cresce a vontade de brincar no lugar de Natalia. É um dos únicos momentos da peça que não é coreografado e o improviso é o que leva a dançarina ao objetivo cênico.

A trilha sonora cresce, é muito bonito. Mas em certos momentos, principalmente na inserção de novos personagens, a falta do silêncio desvaloriza o novo ser em cena. E são seres que impressionam. O que mais desperta curiosidade é o emaranhado de rostos e mãos que o dançarino Ivan Bernardelli traz em seu corpo. O trabalho e Ivan remete a corpos que se fagocitam e se vomitam. A voz é muito presente e briga com a música.

Os adereços são verdadeiras obras de arte, feitos de uma espuma que além de dar forma oferece flexibilidade e densidade ideais para a manipulação/articulação. A entrada do rinoceronte quebra o espetáculo em um momento quase existencialista dos bailarinos, que usam o verbo e a plateia. No entanto, percebe-se um momento frágil que não é acreditado por quem executa. Algumas pessoas se retiraram do teatro.

O Objeto Gritante é resultado de uma parceria com Duda Paiva, artista brasileiro radicado na Holanda e um dos grandes nomes do teatro de objetos europeu.

* Raquel é atriz e jornalista e não perde um espetáculo deste Palco Giratório por nada. Para nossa alegria, divide suas impressões com os leitores do Olhar Conceito. Veja mais críticas no blog Três Movimentos

Leia também:

Espetáculo é marcado pela riqueza de personagens que ensinam receitas de bolo e transformam-se em vedetes
Casar ou não casar? Atores descobrem que a maioria das histórias não tem final feliz






Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet