Olhar Conceito

Domingo, 20 de setembro de 2020

Notícias / Artes Cênicas

Palco Giratório apresenta o drama de um brincante de bumba meu boi

Da Redação - Bruna Gomes

16 Mai 2013 - 17:00

Palco Giratório apresenta o drama de um brincante de bumba meu boi
Depois de assistirem uma tradicional boiada no largo de São Pedro, a Santa Ignorância Cia. de Artes saiu impressionada e curiosa; quem é esse anônimo que faz o boi? Qual sua estória, seu sonho, sua vida? Que dívida com o santo ele esteve a pagar naquela boiada?

Em meio à de dezenas de grupos de bumba meu boi, que brincavam em homenagem ao santo, a figura do miolo de boi sobressaiu aos olhos dos atores. E desde então (2009), iniciaram as pesquisas sobre a vida, os sonhos e conflitos dos brincantes de bumba meu boi, que é a origem da peça “O Miolo da História” que se apresenta hoje Palco Giratório, às 20h.

Na trama, João Miolo (Lauande Aires) é um pedreiro que vive um conflito entre a dura realidade e a glória que almeja alcançar. Se durante o dia está imerso em tijolos, cimento e as humilhações freqüentes do trabalho, à noite João se encontra no centro do terreiro rodeado por outros brincantes e seus maracás. Secretamente João quer se tornar um grande cantador, ganhar poder, ser reconhecido pela sua própria imagem, um herói de si mesmo.

No entanto, quando é recusado como cantador, a frustração, revolta e desânimo ultrapassam qualquer sentimento e João decide largar a boiada e sua fé nos santos. Ele se desencontra, sofre e peca consigo mesmo durante este percurso.

Com roteiro afiado, Lauande Aires concentra suas críticas nas atitudes raivosas e reclamações rotineiras de João Miolo. Embora sendo um solo, a peça não é um monólogo. Em cena, Lauande interpreta cinco personagens além de Miolo.

O espetáculo O Miolo da Estória teve sua estreia em 2010 e desde então percorreu a 5ª Mostra Sesc Guajajaras de Artes, em São Luis, o 1º Festival de Teatro de Açailândia, no Maranhão,a 6ª Mostra Sesc Povos da Floresta, no Macapá (Amazonas), a 6ª Semana de Teatro no Maranhão, o 28º Festival de Monólogos Ana Maria Rêgo, em Teresina (Piauí) e a Mostra Amazônia das Artes. A encenação acontece no teatro do Sesc Arsenal e a entrada é 1 litro de leite longa vida.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Redes Sociais

Sitevip Internet