Olhar Conceito

Sábado, 16 de outubro de 2021

Notícias / Literatura

Marta Cocco

Com oito livros publicados, nova imortal participa de processo de rejuvenescimento da AML

Da Redação - Stéfanie Medeiros

31 Out 2014 - 11:00

Foto: Stéfanie Medeiros/ Olhar Conceito

Com oito livros publicados, nova imortal participa de processo de rejuvenescimento da AML
A sensibilidade é o que marca não só a obra, mas também a vida da escritora Marta Cocco. Nesta sexta-feria (31), ela ocupará a cadeira número 18 da Academia Mato-Grossense de Letras, cujo patrono é Francisco Antônio Pimenta Bueno e último ocupante é Hélio Serejo. A ceriomônia de posse acontece na Casa Barão de Melgaço, às 19h30.

Leia mais: Eleitas no final de semana, três novas imortais representam uma revolução na AML; Entenda

Para conhecer um pouco mais da trajetória da mais nova acadêmica da AML, a reportagem do Olhar Conceito encontrou-se com Marta no Sesc Arsenal. A conversa aconteceu na chopperia, com um vento fresco, som das árvores e música ao vivo. Enquanto a escritora esperava o início de uma palestra sobre livros infanto-juvenis, lembrou de sua trajetória na carreira literária.

Marta Cocco nasceu em Pinhal, no Rio Grande do Sul. No entanto, foi em Santa Maria, cidade no mesmo estado, que começou a escrever e onde também formou-se em letras e zootecnica, sem nunca exercer esta segunda formação. Foi também neste município campestre que seu primeiro livro, “Divisas”, foi lançado, quando tinha 25 anos de idade. “Eu não tive um momento em que falei ‘quero escrever, é isso que vou fazer’. Acho que como não aprendi a tocar nenhum instrumento e não canto, toda a minha sensibilidade teve vazão na escrita”, disse.

Este livro também foi uma despedida da cidade de Santa Maria. Na época, a família de Marta já havia mudado-se para Mato Grosso. Depois da publicação de sua primeira obra, a escritora veio junto em 1991. Ela primeiro morou em Diamantino. Depois passou um tempo em Cuiabá, fazendo viagens de ida e volta para dar aulas na Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), em Tangará da Serra, onde mora permanentemente agora.

Cultura Mato-Grossense


A escritora, mesmo com origens gaúchas, preza muito pela cultura mato-grossense. Sua tese de doutorado, inclusive, foi sobre a poesia de Lucinda Persona, eleita para a Academia Mato-Grossense de Letras (AML) ao lado de Marta e Sueli Batista (clique AQUI). “É um presente enorme ser eleita para a AML ao lado de uma pessoa que você admira tanto”, disse. O título da tese é “O imaginário na poética de Lucinda Persona: sob a tirania da finitude, a pulsão da vida”.

Marta conheceu a obra de Lucinda andando pelos corredores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Em um mural, havia um calendário com um poema de Lucinda. “Apaixonei-me quase que instantaneamente”, disse. Mas a Marta conheceu Lucinda pessoalmente em 1997, em um lançamento conjunto. Marta iria lançar seu livro de poesia “Partida”. Por ainda ser nova em Cuiabá, seu projeto foi inserido neste lançamento ao lado de Ivens Cuiabano Scaff, Lucinda Persona e Wander Antunes.

Autora de oito livros publicados, Marta já tem diversos outros projetos em andamento na área da poesia, conto e histórias infantis. Sua mais recente publicação foi o livro “Doce de Formiga”, pela editora Tanta Tinta/ Carlini Caniato. “Mas acho que meu melhor trabalho até o momento é o ‘Sábado’”, confessou a escritora.

“Sábado”, também publicado pela Carlini e Caniato em 2011, é um único poema onde o eu-lírico percorre a cidade em apenas um dia. “Ao longo do poema, o eu-lírico envolve-se com a cidade. É uma obra que deixa abertura para diversas interpretações”, contou Marta.

Posse na Academia Mato-Grossense de Letras


Sobre a posse na AML, que acontece nesta sexta-feira (31), Marta promete uma cerimônia em que poesia e música encontram-se. “A ideia é que a cerimônia seja mais dinâmica. Após a solenidade, haverá um sarau no pátio da Casa Barão de Melgaço, onde Deize Águena e outros músicos irão apresentar-se. Quem quiser declamar poesias, também está convidado a subir no palco”, disse Marta.

O discurso de boas-vindas será proferido pelo próprio presidente da academia, Eduardo Mahon. Marta Cocco ocupará a cadeira número 18 da Academia Mato-Grossense de Letras, cujo patrono é Francisco Antônio Pimenta Bueno e último ocupante é Hélio Serejo. A filha de Serejo veio à Cuiabá de Campo Grande especialmente para a cerimônia.



O filho de Marta Cocco, Ivan, 9 anos, também prestará sua homenagem à mãe tocando uma música no piano. “E depois dos discursos, teremos uma surpresa para o público. A única dica que dou é que une poesia e música”, disse Marta.

Marta Cocco foi eleita para a academia no dia 2 de agosto, ao lado de Lucinda Persona e Sueli Batista. “Eu confesso que no começo eu tinha minhas restrições em relação a AML. Eu tinha a impressão de que era um local um pouco elitista, meio fechada. Mas nos últimos tempos, um movimento de renovação e rejuvenescimento da instituição tem ganhado força e eu quero fazer parte disto”, disse Marta.

Quem quiser acompanhar a posse de Marta Cocco, a cerimônia é aberta ao público.

Livros publicados

1991: “Divisas” - Edição da autora (Publicado em Santa Maria)
1997: “Partido” - Editora Tempo Presente (Cuiabá)
2001: “Meios” - Edição da autora (Cuiabá)
2006: “O ensino da literatura produzida em Mato Grosso - regionalismo e identidades” - Cathedral Publicações (Cuiabá)
2007: “Sete dias” - Editora Galo Branco (Rio de Janeiro)
2011: “Sábado ou cantos para um dia só” - Editora Carlini e Caniato (Cuiabá)
2013: “Lé e o elefante de lata” - Editora Ideias (Tangará da Serra)
2014: “Doce de formiga” - Editora Carlini e Caniato (Cuiabá)

Serviço

Cerimônia de posse de Marta Cocco
Data: Sexta-feira(31)
Horário: 19h30
Local: Casa Barão de Melgaço
Endereço: Rua Barão de Melgaço nº 3869, Centro
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet