Olhar Conceito

Notícias / Artesanato

Bazar feito por e para mulheres tem sua quarta edição no mês de março no Museu Histórico

Da Redação - Isabela Mercuri

03 Mar 2015 - 14:02

Foto: Reprodução

Bazar feito por e para mulheres tem sua quarta edição no mês de março no Museu Histórico
No mês das mulheres, um bazar totalmente feito por elas chega a sua quarta edição e, desta vez, no Museu Histórico de Mato Grosso. O “Bazar das Luluzinhas”, organizado pela professora de filosofia e comerciante Alana Chico e diversas outras mulheres acontece neste sábado (7), das 8h às 17h.

Leia mais:
Artesã cuiabana faz sucesso com tiaras de flor e novas tendências
Depois de sete anos se especializando, cuiabana decide vender peças de decoração em origami

A primeira edição da feira aconteceu em fevereiro de 2014 através de quatro amigas apaixonadas por desapegos e bazares. “O seu nascimento foi planejado com muito afeto e carinho, sempre inspirado em cooperatividade e amizade”, explica Alana. As duas primeiras edições foram no Tijucal, entre setembro e outubro de 2014. A terceira vez foi no Boa Esperança.

Serão 26 participantes entre lojistas, artesãos, brechós, representantes de cosméticos e produtos de suplemento alimentar. A escolha do Museu Histórico como sede da feira surgiu através dos contatos das participantes: “A Ley Vieira e a Silvana Cordova. As quais notificaram para a equipe de organização, que o Museu Histórico estaria de portas abertas para acolher o nosso Bazar. Desta forma, entramos em contato com a coordenadora do Museu, a Flávia Taques, que se dispôs formalmente a dar suporte e apoio para a realização do Bazar das Luluzinhas. Além disso, contamos como parceira a Cena Onze e o Gorverno do Estado de Mato Grosso”, explica Alana Chico.

A partir de março, no começo de cada mês haverá uma ‘Feira das Luluzinhas’, sempre com roupas infantis, roupas femininas e adultas, sapatos, bolsas, bijuterias, cosméticos, artesanatos e mais. Quem for até o local pode levar roupas ou acessórios para trocas com expositores, mas não são todos os vendedores que aceitam.

Sobre as feiras que surgem em Cuiabá nos últimos anos, Alana afirma: “Acredito que seja natural esse movimento criativo e popular de criar e também de participar de feiras, visto que culturalmente somos vastos e múltiplos. Sem querer, aqueles que participam desses movimentos acabam contribuindo socialmente para a Capital, oferecendo ao resto da população alternativas de lazer e entretenimento”, continua, “Atualmente, na grande Capital, temos diversos tipos de feiras, por exemplo, a Feirinha 24 no espaço Magnólia, a onde há um encontro de artistas, comerciantes e produtores culturais montam pequenos stands para vender e trocar objetos. Dessa forma, é possível compreender que a emulsão de eventos e projetos como as feiras e também dos bazares, sejam parte de um desenvolvimento urbano, que, sobretudo contribui culturalmente e socialmente para toda a cidade”.

O bazar também possui um grupo de venda online, acesse AQUI. A edição de sábado acontece das 08h às 17h, no Museu Histórico de Mato Grosso, na Praça da República.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Vanessa barreiros miranda
    01 Fev 2018 às 22:36

    Gostaria de fazer parte

  • Luci Moraes
    05 Mar 2015 às 17:42

    Estive presentes em todos os encontros e é muito bom, porque voce tem um leque de opções de peças incríveis com um look bacana e ainda por cima um preço super camarada, chegando menos que a metade do preço, vale a pena marcar presença. Fica a dica.

Redes Sociais

Sitevip Internet