Olhar Conceito

Quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Notícias | Artes Cênicas

a partir de sexta

Peça "Cuiabá dos meus amores" conquista o público com produção elaborada e pitadas de humor

Foto: Da Assessoria/ Maurício Barbant

Peça
A Peça “Cuiabá dos meus amores” teve sua estreia no aniversário de 296 anos de Cuiabá, comemorado nesta quarta-feira (08). Ao longo do espetáculo, nos deparamos com as várias fases da capital mato-grossense ao longo da história, desde o seu descobrimento, até os dias atuais. Vale notar também que o espetáculo talvez tenha a produção mais elaborada dos últimos tempos na cidade.

Leia mais:
Peça "Cuiabá dos meus amores" homenageia cidade com um passeio por sua história

“Cuiabá dos meus amores” será encenada para o público em geral nesta sexta-feira (10), sábado (11) e domingo (12). A peça ganha vida no palco do Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros, na Assembleia Legislativa (AL). Os ingressos estão disponíveis na Casa de Festas e no saguão de entrada da AL. Para adquirir uma entrada, basta levar dois litros de leite, que serão doados para a creche Falcaozinho.


(Foto: Da Assessoria/ Maurício Barbant)


A história começa quando uma jornalista chega a Cuiabá para pesquisar e escrever sobre a região. Para mostrar todos os aspectos da cidade, seu anfitrião, cuiabano de “tchapa e crux”, leva-a em uma viagem no tempo pela história da capital.

Dividida em 22 cenas, “Cuiabá dos meus amores” mistura romance, comédia e números musicais. Trechos da história como o trabalho dos escravos na igreja de São Benedito, os pescadores, a descoberta do ouro e os bailes de rasqueados são interpretados pela Cia de Dança Rodinei Barbosa.

A música da peça é ao vivo, interpretada pelos músicos Bolinha, Edmilson Maciel e Manézinho. Para ilustrar o siriri, o grupo Flor Ribeirinha sobe aos palcos e mostra a dança de forma animada, vibrante e viva. Com todos estes elementos, a jornalista que veio visitar Cuiabá começa a apaixonar-se tanto pela terra, quanto por seu anfitrião.


(Foto: Da Assessoria/ Maurício Barbant)


Mas apesar de todos os elementos regionais que compõem uma das peças mais elaboradas dos últimos tempos em Cuiabá, vemos também os detalhes que são da Cuiabá atual. Esta “contemporaneidade” materializa-se com a dupla Nico e Lau, que completou na estreia da peça 20 anos de carreira, e no resgate que o ator André D’Lucca faz da comadre Nhara, criação do já falecido Liu Arruda.

Nestes trechos, as piadas unem o humor tradicional com a situação atual de Cuiabá. Um exemplo é o viaduto da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que nas histórias de Nico e Lau torna-se “Ponte do Barbosão”. Ou nos cabelos loiros de comadre Nhara, que decidiu pintá-los com a tinta que sobrou de sua filha Ramona por conta “da crise”.


(Foto: Da Assessoria/ Maurício Barbant)

Mesclado a este elenco de 123 pessoas na produção, sendo 77 artistas, está o detalhe do cenário: Nos palcos do recém-inaugurados Teatro Cerrado, o cenário ganha mobilidade, agilidade e fluidez. Nós viajamos de uma Cuiabá floresta para dentro de uma casa cuiabana em apenas alguns segundos. Em certo ponto, um pescador chegou a atravessar o palco em uma canoa.

Roteiro e direção

A peça “Cuiabá dos meus amores” foi escrita por José Rabello de Leite com o objetivo de retomar a história e cultura da capital. A adaptação para homenagear os 296 anos da cidade é da filha do autor, Carlina Rabello Leite, e do ator e diretor Justino Astrevo (que também dá vida ao Lau da dupla “Nico e Lau”).
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet