Olhar Conceito

Notícias / Tecnologia

veja resultado

Designer responsável pela reconstituição do rosto de Maria Madalena mora em Sinop há 28 anos

Da Redação - Isabela Mercuri

21 Jul 2015 - 13:50

Foto: Reprodução

Designer responsável pela reconstituição do rosto de Maria Madalena mora em Sinop há 28 anos
O rosto de Maria Madalena reconstituído digitalmente foi apresentado pela Igreja Católica no último domingo (19), e o trabalho foi desenvolvido pelo designer de Sinop Cicero Moraes, em parceria com o professor José Luis Lira do Ceará e o especialista em odontologia legal, Paulo Miamoto.

Leia mais:
Inscrições para Mostra Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação estão abertas
Aluno de Primavera é um dos cinco representantes do Brasil como cientista olímpico na Indonésia

Cicero já havia participado da reconstituição do rosto de Santo Antônio, em 2014, e por este motivo foi procurado por José Luis: “Ele entrou em contato comigo e me propôs que nós falássemos com o padre Florian Racine, lá da França. Ele sabia dessa história do crânio de Maria Madalena e falou, ‘olha, a gente podia entrar em contato com o pessoal lá e fazer a reconstituição”, contou o designer ao Olhar Conceito.

O padre foi resistente, mas com a promessa de a reconstrução permanecer em sigilo caso ele não aprovasse, ele aceitou a ideia. O projeto então foi feito com os três profissionais trabalhando em conjunto.

Segundo Cícero, foi uma honra esse reconhecimento: “Eu já tinha certa popularidade como pesquisador na área de reconstrução facial e de evolução humana, mas quando você faz uma reconstrução notória, ou reconstruções notórias como Santo Antônio e como a Maria Madalena, o alcance é muito maior”, afirma.

O designer explica, ainda, que quanto mais estudos sobre essas técnicas, mais elas podem ser utilizadas para ajudar a sociedade em geral: “A exemplo do que aconteceu com o jabuti que nós reconstituímos o casco, né? Essas técnicas servem, na prática, pra ajudar animais, pessoas que precisam de prótese, a polícia em arte forense...”.



Cicero (Foto: Arquivo Pessoal)

Apesar de não ter religião, Cicero afirma que respeita quem tem um ponto de vista acético e que durante o processo de reconstrução de santos, ele pôde ver o tamanho da fé: “as pessoas que acreditam tem uma fé muito bonita, algo que eu acho interessante do ponto de vista antropológico, e partir do momento que eu comecei a conviver com essas pessoas eu tenho uma visão mais aberta e gosto muito de vê-las alimentando essa fé”.

O designer mora em Sinop há 28 anos, e reconhece que o Brasil está cada vez mais avançado tecnologicamente: “Inicialmente na área da informática nós recebíamos muita influência de outros países. E hoje o que estamos fazendo é exportando metodologia e tecnologia com o trabalho que a gente está desenvolvendo”.

Mais que isso, no entanto, ele acredita que o “mais importante é desenvolver tecnologia que as pessoas tenham acesso, e este é o nosso objetivo, fazer com que a população seja beneficiada com tudo aquilo que a gente desenvolve”, finaliza.

A reconstituição

O resultado da reconstituição foi mostrado no programa Fantástico, da Rede Globo, no último domingo. Segundo a reportagem, o crânio foi identificado como feminino pelo especialista em odontologia legal, Paulo Miamoto, e as análises de ancestralidade provaram que ela era branca.

A partir destas análises foi feito um esboço com os tecidos moles (lábios, bochechas, olhos), e depois um acabamento. A pintura digital, feita por Cícero, trouxe o aspecto da face de Maria Madalena, e a finalização foi colocar os cabelos e roupas. Apesar do crânio ser de uma mulher de 51 anos, idade em que a santa faleceu, o rosto digital foi adequado à idade de 22 anos, quando ela teria encontrado com Jesus Cristo ressuscitado.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet