Imprimir

Notícias / Gastronomia

Gastronomia peruana revela sabores exˇticos e alguns cuidados especiais na escolha

Especial para o Olhar Conceito - Thalita Ara˙jo

 Nem só dos deliciosos e famosos Ceviches vive a gastronomia típica peruana. Apesar de este ser o prato que ganhou maior repercussão mundial, o país tem outras receitas que se tornaram bastante procuradas por turistas que chegam às cidades peruanas.

A agricultura do Peru destaca-se pela produção de centenas de variedades de batata e milho. Para nós, aqui no Brasil, temos a batata comum e a doce. Lá, a coisa é diferente. As batatas mudam de tamanho, de cor, de cheiro, de textura e a variação de sabores – entre a nada doce e a muito doce – é enorme.


Os milhos também impressionam. Alguns enormes e de grãos brancos (Choclo), outros roxos, quase pretos (Maíz Morado) e variações de rajados, amarelos, rosados, vermelhos...

No entanto, pelo menos na região de Cusco, o que pude perceber foi maior incidência de Choclo. Com ele se faz pequenos bolinhos doces assados na palha, se usa como acompanhamento de Ceviches e outros pratos e se come cozido, assim como fazemos como o nosso milho por aqui.

Já o Maíz Morado é utilizado principalmente para preparo de uma bebida típica, a Chicha Morada, refresco feito através do cozimento dos grãos e espiga em água e especiarias, servido gelado com limão e açúcar.

Também é comum este milho, que tanto chama a atenção, fazer a sobremesa típica Mazamorra Morada, que tem o mesmo princípio que a Chicha, mas fica com a textura de um sagu e leva pedaços de frutas ao cozimento, servido salpicado de canela em pó.


A Mazamorra Morada também é tradicionalmente servida junto a um arroz cozido no leite, bem parecido com o nosso arroz-doce. É uma sobremesa deliciosa, servida bem quente, e também agrada muito visualmente.

Os locais

Fora do reduto dos turistas, o que se pode encontrar em Cusco e outras cidades pelas quais passamos é uma quantidade impressionantes de Pollerias, restaurantes que servem frango assado acompanhado de batatas. Sempre lotados.


Os mais excêntricos


De mais diferente, cheguei a experimentar carne de Alpaca (um animal parecido com lhama), que tem textura mais firme que uma carne de gado e sabor mais forte.

E, algo que nem todos se arriscam a chegar perto... O Cuy, um tipo de porquinho do mato, mas que visualmente se parece muito com um rato enorme. Achei a carne com um gosto muito forte, comum a carnes de caça.


Cuidados especiais


Muita coisa gostosa e diferente podemos achar em Cusco e outras cidades peruanas, coisas que só o país oferece. No entanto, é preciso estar atento a onde comer. Não são indicadas as comidas de rua. E, ao eleger um restaurante, procure referências e esteja atento à higiene.

Os peruanos não têm hábitos de higiene como nós brasileiros. A água é bastante contaminada e, para cidadãos de um país que consome costumeiramente água mineral, alimentar-se no país vizinho pode significar desde um desconforto até uma séria infecção intestinal.

Por isso, as recomendações de muitos viajantes – e, por ter conferido na prática, minhas também – são de não comer na rua, não beber sucos naturais (opte pelos enlatados, por causa da água), evitar carnes mal passadas, dar preferências a verduras e legumes cozidos ao invés de crus. De maneira geral, muita atenção, e leve na bagagem um Floratil.

Tomando os devidos cuidados, aproveite os sabores incríveis que o Peru tem a oferecer. E não deixe de comer um bom Ceviche de truta!

Leia também:
Brasil – Peru de carro: uma aventura de paisagens inesquecíveis pela “Estrada do Pacífico”

Cusco: charmosa, movimentada e com uma arquitetura histórica de encher os olhos

“Valle Sagrado de los Incas” guarda parques arqueológicos surpreendentes entre rios e montanhas

Machu Picchu encanta o mundo pela beleza e pelos mistérios indecifráveis que guarda

Imprimir